Notícias

Cannes 2021 divulga sua seleção; Karim Aïnouz está em sessão especial

Publicado em 03/06/21 às 12h25

 
"O Marinheiro das Montanhas" é um diário de viagem filmado na primeira ida de Karim Aïnouz à Argélia, terra de seu pai
 
Com muitos nomes consagrados na competição principal pela Palma de Ouro e apenas um brasileiro - Karim Aïnouz - em sessão especial, o Festival de Cannes divulgou nesta quinta (3/6) sua seleção principal.
 
Karim exibirá em Cannes um documentário extremamente pessoal, O Marinheiro das Montanhas, um diário de viagem filmado na primeira ida de Karim à Argélia, país em que seu pai nasceu. Entre registros da viagem, filmagens caseiras, fotografias de família, arquivos históricos e trechos de super-8, o longa opera uma costura fina entre a história de amor dos pais do diretor, a guerra de independência argelina, memórias de infância e os contrastes entre Cabília (região montanhosa no norte da Argélia) e Fortaleza, cidade natal de Karim e de sua mãe, Iracema.
 
A trajetória do diretor brasileiro, aliás, é marcada pelo festival francês em que ocorreu sua estreia com Madame Satã (2002). Além disso, Karim teve selecionados O Abismo Prateado (2011), na Quinzena dos Realizadores, e A Vida Invisível (2019), vencedor de Melhor Filme na mostra Um Certain Regard.  
 
“É muito importante para um filme tão íntimo e pessoal estrear nessa gigante vitrine internacional que celebra a diversidade e excelência e de tanto prestígio que é Cannes. É um festival que tem acompanhado de perto meu trabalho, que acolhe e joga uma luz nos filmes que tenho feito, permitindo que eles sejam descobertos mundo afora. É um privilégio ser convidado e poder contar com essa visibilidade”,  ressalta Karim, cujo processo de criação se deu durante a pandemia, quando se debruçou sobre o material filmado em janeiro de 2019, época em que realizou pela primeira vez a travessia de barco pelo Mar Mediterrâneo para a Argélia e seguiu até as Montanhas Altas no norte do país.
 
Apenas quatro mulheres - entre 24 candidatos - competem à Palma, sendo três diretoras francesas (Mia Hansen-Love, Catherine Corsini e Julia Ducournau), ao lado da húngara Ildikó Enyedi (que já venceu o prêmio principal em Berlim, o Urso de Ouro, em 2017, com Corpo e Alma). 
 
Abaixo, a lista completa dos filmes anunciados: 
 
Competição
Annette (filme de abertura), de Leos Carax (França)
The Story of My Wife, de Ildikó Enyedi (Hungria)
Benedetta, de Paul Verhoeven (Holanda)
Bergman Island, de Mia Hansen-Love (França)
Drive My Car, de Ryusuke Hamaguchi (Japão)
Flag Day, de Sean Penn (EUA)
Ahed’s Knee, de Nadav Lapid (Israel)
Haut et Fort, de Nabil Ayouch (Marrocos)
Compartment No.6, de Juho Kuosmanen (Finlândia)
The Worst Person In The World, de Joachim Trier (Noruega)
La Fracture, de Catherine Corsini (França)
Les Intranquilles, de Joachim Lafosse (Bélgica)
Les Olympiades, de Jacques Audiard (França)
Lingui, de Mahamat-Saleh Haroun (Chade)
Memoria, de Apichatpong Weerasethakul (Tailândia)
Nitram, de Justin Kurzel (Austrália)
France, de Bruno Dumont (França)
Petrov’s Flu, de Kirill Serebrennikov (Rússia)
Red Rocket, de Sean Baker (EUA)
The French Dispatch, de Wes Anderson (EUA)
Titane, de Julia Ducournau (França)
Tre Piani, de Nanni Moretti (Itália)
Tout S’est Bien Passé, de François Ozon (França)
A Héros, de Asghar Farhadi (Irã)
 
Um Certo Olhar
Moneyboys, de C.B Yi (Áustria)
Blue Bayou, de Justin Chon (EUA)
Freda, de Gessica Généus (Haiti)
House Arrest, de Alexey German Jr. (Rússia)
Bonne Mère, de Hafsia Herzi (França)
Noche de Fuego, de Tatiana Huezo (México)
Lamb, de Valdimar Jóhansson (Islândia)
Commitment Hasan, de Hasan Semih Kaplanoglu (Turquia)
After Yang, de Kogonada (EUA)
Let There Be Morning, de Eran Kolirin (Israel)
Unclenching The Fists, de Kira Kovalenko (Rússia)
Women Do Cry, de Mina Mileva e Vesela Kazakova (Bulgária)
Rehana Maryam Noor, de Abdullah Mohammad Saad (Bangladesh)
Great Freedom, de Sebastian Meise (Áustria)
La Civil, de Teodora Ana Mihai (Romênia / Bélgica)
Gaey Wa’r, de Na Jiazuo (China)
The Innocents, de Eskil Vogt (Noruega)
Un Monde, de Laura Wandel (Bélgica)
 
Fora de competição
De Son Vivant, de Emmanuelle Bercot (França)
Emergency Declaration, de Han Jae-Rim (Coreia do Sul)
The Velvet Underground, de Todd Haynes (EUA)
Bac Nord, de Cédric Jimenez (França)
Aline, The Voice of Love, de Valérie Lemercier (França)
Stillwater, de Tom McCarthy (EUA)
 
Sessões Especiais
O Marinheiro das Montanhas, de Karim Aïnouz (Brasil)
Black Notebooks, de Shlomi Elkabetz (Israel)
Babi Yar. Context, de Sergei Loznitsa (Ucrânia)
H6, de Yé Yé (França)
The Year of The Everlasting Storm, de Jafar Panahi (Irã), Anthony Chen (Singapura), Malik Vitthal (EUA), Laura Poitras (EUA), Dominga Sotomayor (Chile), David Lowery (EUA) e Apichatpong Weerasethakul (Tailândia)
 
Cannes Première
Serre-moi Fort, de Mathieu Amalric (França)
Cow, de Andrea Arnold (Inglaterra)
Cette Musique ne Joue pour Personne, de Samuel Benchetrit (França)
Deception, de Arnaud Desplechin (França)
Jane Par Charlotte, de  Charlotte Gainsbourg (França)
In Front of Your Face, de Hong Sang-soo (Coreia do Sul)
Mothering Sunday, de Eva Husson (França)
Evolution, de Kornél Mundruczo (Hungria)
Val, de Ting Poo e Leo Scott (EUA)
JFK Revisited: Through The Looking Glass, de Oliver Stone (EUA)
 
Sessão da meia-noite
Bloody Oranges, de Jean-Christophe Meurisse (França)

Outras notícias