Notícias

Festival do Cinema Baiano realiza sua sétima edição online

Publicado em 15/03/21 às 10h21

Cinco anos depois, volta a realizar-se o 7º Festival de Cinema Baiano (Feciba). Serão dez dias de programação totalmente online e gratuita, entre 15 e 26 de março. Na grade, estão a exibição de 50 filmes, a realização de quatro oficinas, a transmissão ao vivo de 20 debates e de duas lives-show. Mais informações podem ser acessadas em www.feciba.com.br
 
Com o tema 'Dentro de casa, asa', o evento visa dar destaque ao que há de mais recente no cinema realizado por baianos. "É com muito prazer que realizamos a sétima edição do FECIBA totalmente diferente e adaptado para esse momento pandêmico. Apesar de distantes, estamos conectados pelas redes e pela arte. O festival veio para mostrar como o cinema baiano cresceu, multiplicou e está se tornando diverso", celebra Edson Bastos, produtor executivo e diretor artístico do Festival.
Debates
Dentro da programação, estão previstos 20 lives-debates, todos os dias às 15h e às 19h. Todos terão tradução simultânea, garantindo acessibilidade em Libras para surdos e deficientes auditivos que fazem uso de Libras. 
Às 15h, o Feciba pauta os seguintes temas: “Personagens femininas: representatividade nas narrativas cinematográficas” (dia 15);  “Em casa, asa: cinema em tempos pandêmicos” (dia 16); “Ferramentas de Internet: presente e futuro, no audiovisual” (dia 17);  “O sagrado no audiovisual: a representação das Religiões de Matrizes Africanas no cinema baiano” (dia 18);  “Cinema de preto: produções audiovisuais construindo narrativas afrocentradas” (dia 19); “Cinema e memória: como o cinema baiano desconstrói seu passado?” (dia 22);  “Cineclubes: fluidez e valorização do cinema”  (dia 23);  “Cinema é arte coletiva: produção e recepção do cinema baiano” (dia 24); “Sessão Covid: Cinema e reinvenção”  (dia 25). No último dia, excepcionalmente, o debate será às 14h, com o tema  “Cinema e escola: a função didática dos filmes” (dia 26).
 
Às 19h, os debates diários serão: “Enegrecer o cinema baiano: análises decoloniais na produção cinematográfica” (dia 15);  “Mulheres no audiovisual - visibilidade e valorização: o que elas andam fazendo?” (dia 16); “Bahia a fora – a dinâmica da distribuição de filmes baianos em outros estados” (dia 17);  “Sexualidades – o que há de inovador no cinema LGBTQIA+?” (dia 18);  “Bahia a dentro – relação entre o mercado e as pequenas  produtoras" (dia 19); “As fortes: representações de mulheres negras nas narrativas cinematográficas baianas” (dia 22); ‘’Cinema é para todo mundo: as problemáticas da distribuição fílmica na Bahia” (dia 23); “Liberdade como tema: roteiros subversivos desestabilizam o ‘normal’?” (dia 24); “Quem assiste o que você filma? – Importância dos festivais de cinema, no contexto baiano” (dia 25). O último debate, dia 26, será realizado às 17h: “Documentários baianos: entre o real e o ficcional”.                                                                                                                          
Filmes e oficinas 
A lista dos 50 filmes que serão exibidos contempla 10 longas, 10 médias e 30 curtas-metragens, que ficarão disponíveis durante os dias do evento. A maioria é do gênero ficção e documentário, mas há também animações e filmes híbridos. Uma oportunidade para quem gosta de compartilhar ideias com os realizadores dos filmes é que alguns deles integrarão a programação das lives/debates do evento. Inscreva-se no canal e não perca nenhum detalhe do Feciba: www.youtube.com/Feciba
 
Serão promovidas as oficinas de Desenho de Produção, com Solange Lima; Roteiro, com Orlando Senna; Direção e as sete artes do cinema, com Cecília Amado; e Produção audiovisual para Internet, com Thiago Almasy. Ao todo, 240 pessoas serão contempladas nessas formações e já garantiram as suas vagas.


Outras notícias