Notícias

Criadores de Porta dos Fundos lançam especial de Natal mais político e menos religioso

Publicado em 09/12/20 às 16h29

Fábio Porchat interpreta Jesus em "Teocracia em Vertigem"
 
Em uma coletiva via Zoom para o lançamento de Teocracia em Vertigem, os quatro fundadores do Porta dos Fundos, Fábio Porchat, Antonio Tabet, Gregório Duvivier e João Vicente de Castro, comentaram que a bomba que explodiu na sede do humorístico no Rio de Janeiro no ano passado não os intimidou, e que jamais cogitaram não fazer um novo especial neste ano. Mas a pandemia do Covid-19 obrigou-os a encontrar um novo formato de filmagem.
 
Tabet afirma ter certeza de que o motivo do atentado à produtora foi homofobia. “Fazemos especial de Natal há vários anos e nunca aconteceu nada. Em 2018, o programa era protagonizado por um Jesus mau caráter e não teve bomba. Ano passado, era um Jesus gay e isso incomodou.” Quanto ao especial deste ano, o ator e roteirista acredita que não tem, em suas palavras, “um potencial tão explosivo”. “O deste ano é mais político, critica coisas como a corrupção. E o cidadão de bem é mais tolerante com isso.”
 
Porchat, roteirista do programa e intérprete de Jesus Cristo, conta que começa a trabalhar no especial de Natal ainda no mês de março. “Eu já estava pensando no programa quando veio a pandemia, mas acreditava que não duraria tanto tempo. Quando vimos que ia longe, era preciso achar uma alternativa.” E essa veio de Gabriel Esteves, um dos principais roteiristas do Porta, que sugeriu um documentário feito a partir de depoimentos, o que desobrigaria de mais de um ator estar em cena constantemente, na maior parte do tempo.
 
O documentário Democracia em Vertigem, de Petra Costa, serviu como uma espécie de base para o humorístico. A diretora, inclusive, faz uma participação especial. O filme, que concorreu ao Oscar, acompanha o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, em 2016. O especial de Natal resgata a história de Jesus de seu nascimento até a ressurreição, passando pela condenação encenada como uma daquelas votações do Congresso Nacional.
 
Porchat conta que a primeira versão do roteiro “tinha referência demais à Bíblia. Os evangélicos iam adorar, mas acho que excluía muito o público em geral. Conversando com as pessoas, percebi que muita gente não sabe a história de Jesus.” Duvivier explica que Jesus era uma figura bastante política e que acabou crucificado por isso. “Com o passar dos anos, depois da crucificação, ele foi despolitizado. E o Especial é uma defesa desse Cristo, um resgate do Cristo vivo.”
 
Teocracia em Vertigem estreia no canal do Porta dos Fundos no Youtube na quinta-feira, 10 de dezembro, e também na Pluto TV, um serviço de televisão por internet que chega ao Brasil na mesma data.

Alysson Oliveira

» Filmes relacionados


Outras notícias