Notícias

Mix Brasil 2020 dá a largada na quarta (11) em edição híbrida

Publicado em 10/11/20 às 12h07

De 11 a 22 de novembro, o Festival Mix Brasil, um dos mais importantes e celebrados eventos de cultura dedicados à diversidade do mundo, realiza a sua 28ª edição de forma online e gratuita, podendo ser assistido de qualquer parte do Brasil. A  programação deste ano traz 101 filmes de 24 países, 6 espetáculos de teatro, música, seminário de literatura, laboratório audiovisual, mesas sobre temas relevantes para comunidade LGBTQIA+,  artes visuais e o Show do Gongo. Tudo num só lugar: a plataforma do MixBrasil (www.mixbrasil.org.br)
 
Algumas sessões presenciais acontecerão no CineSesc, espetáculos teatrais no Centro Cultural da Diversidade, e exposição em diversos Centros Culturais de São Paulo, com um número limitado de espectadores. Este ano a homenageada com o prêmio Ícone Mix será a drag queen Marcia Pantera, criadora do movimento Bate-cabelo e destaque em diversos filmes do cinema nacional.
 
O Festival abre nesta quarta (11/11) às 20h, com uma cerimônia totalmente online, que contará com um pocket show da cantora Linn da Quebrada, seguido da exibição do  premiado filme argentino, inédito no Brasil e selecionado para a seção  Panorama do festival de Berlim,  As Mil e Uma, de Clarisa Navas - que ficará disponível na plataforma do Festival por 48h a partir do término do show. No longa, em um retrato contemporâneo da periferia da cidade argentina de Corrientes, Iris conhece Renata, uma mulher jovem com um passado difícil, e imediatamente se sente atraída por ela. Iris e seus amigos superam medos e lutam contra a intolerância ao seu redor para viverem seus primeiros amores e experiências sexuais.
 
Seleção
 
A seleção de longas-metragens, organizada pelo diretor de programação de Cinema do Festival João Federici, exibirá títulos de diretores e atores consagrados que fizeram parte da seleção oficial dos Festivais de Berlim, Veneza, Toronto, Sundance, Cannes e OutFest. Inéditos no Brasil, os destaques são  “The World to Come” (EUA) de Mona Fastvold   (Sony Pictures Classics),  que conta com Vanessa Kirby (The Crown) no elenco;  “I Carry You With Me” (EUA, México) de Heidi Ewing (Sony Pictures Classics), vencedor do prêmio do público em Sundance; “Saint-Narcisse” (Canadá) do enfant-terrible Bruce LaBruce;  “Lingua Franca” (EUA, Filipinas) de Isabel Sandoval, eleito o melhor filme do Queer Lisboa deste ano;  “Suk Suk” (Hong Kong, China) de Ray Yeung Pak; “Shiva Baby” (Canadá) comédia de Emma Seligman; “Pequena Garota”, documentário francês dirigido por Sébastien Lifshitz. 
 
A lista conta ainda com diversos filmes premiados e aguardados que farão première no Brasil. São eles: “A Morte Virá e Levará Seus Olhos” (Chile) de José Luis Torres Leiva, que recebeu menção especial do júri em Mar del Plata , “A Cidade Era Nossa” (Países Baixos), de Netty van Hoorn, documentário sobre o movimento lésbico holandês nos anos 70, “Cigarra”(EUA) de Matthew Fifer, seleção oficial no OutFest , “Cured” (EUA) de Bennett Singer, Patrick Sammon, eleito o melhor documentário pelo público do Frameline, “Ellie & Abbie” (Austrália) de Monica Zanetti e  “Emilia” (Argentina) de Ce?sar Sodero, seleção oficial em Roterdã.
 
Brasileiros
 
A Mostra Competitiva de Longas Nacionais deste ano reúne 9 títulos, em uma seleção fortemente marcada pelas investigações das afetividades e identidades da população LGBTQIA+. Entre  os concorrentes ao Coelho de Ouro, a maioria fará a sua  première nacional no Festival. Os selecionados são: “A Torre”, de Sérgio Borges (MG);  “Alfabeto Sexual”, de André Medeiros Martins (SP); “Limiar”, de Coraci Ruiz (SP), “Mães do Derick” de Dê Kelm (PR), “Meu Nome É Bagdá” de Caru Alves de Souza (SP), “Para Onde Voam as Feiticeiras”, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral (SP); “Valentina” de Cássio Pereira Dos Santos (MG/DF); “Vento Seco”, de Daniel Nolasco (GO) e “Vil, Má”, de  Gustavo Vinagre (SP).
 
O Panorama Nacional traz também a mostra “Vozes do Brasil Real”, onde quatro documentários relatam as vivências de diferentes populações ignoradas ou marginalizadas do nosso país.  Os escolhidos são “Cinema de Amor” de Edson Bastos e Henrique Filho (BA); “Homens Pink” de Renato Turnes (SP/SC); “ Prazer em Conhecer” de Susanna Lira (RJ)  e “Quem Pode Jogar?” de Marcos Ribeiro (RJ).
 
Toda a programação online do 28º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade poderá ser acessada gratuitamente pelo site mixbrasil.org.br. Os filmes poderão ser assistidos pelas plataformas digitais InnSaei (innsaei.tv), Sesc Digital (sesc.digital/home),  Spcine Play  (spcineplay.com.br/).O acesso a alguns filmes será limitado e alguns longas serão exibidos apenas em sessões presenciais (consulte a programação).
 
O evento é uma realização da Associação Cultural Mix Brasil, Ministério do Turismo e conta com a iniciativa da Lei de Incentivo à Cultura, o patrocínio de Itaú e Mercado Livre, apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, apoio cultural de SESC SP e Biblioteca Mario de Andrade;  apoio institucional do Países Baixos, Dot Cine, Ctav, Mistika, Ateliê Bucareste e Vetor Zero e promoção do Canal Brasil, Mubi, E! e Leitura Digital.
 
 
Serviço
 
28° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade
 
11 a 22 de novembro| GRATUITO
 
Programação completa: mixbrasil.org.br
 
Gratuito| Cinema, Teatro, Música, Literatura, Talks e Artes Visuais.

Outras notícias