Meu Querido Supermercado

Meu Querido Supermercado

Ficha técnica

  • Nome: Meu Querido Supermercado
  • Nome Original: Meu Querido Supermercado
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2020
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 80 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Tali Yankelevich
  • Elenco:

País


Sinopse

Exercendo as mesmas atividades todos os dias, funcionários e funcionárias de um supermercado encontram espaço para externar seus sentimentos, afetos e emoções, num ambiente marcado pela rotina do trabalho.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

22/11/2021

Em Meu Querido Supermercado, a documentarista Tali Yankelevich transforma uma loja de supermercado num pequeno microcosmo, investigando as dinâmicas que pautam as relações entre os funcionários e funcionárias do estabelecimento. É um filme altamente marcado pelo conteúdo humano, cada pessoa com suas histórias, sonhos e expectativas.
 
Há o filósofo do estoque, a vigilante que a tudo vigia (inclusive a filha que trabalha na mesma loja), o atendente com teorias (algumas conspiratórias), o padeiro que encontra lirismo no pão, entre tantos outros. É uma galeria colorida e muito bem articulada pela montagem, assinada pela diretora e por Marco Korodi, que equilibra depoimentos e imagens das pessoas cumprindo suas funções tão repetitivas, criando uma espécie de dinâmica na qual contar seus sonhos pode ser libertador e se torna o espaço do desejo dentro do filme e da vida delas.
 
Como não poderia deixar de ser, o filme incorpora em si a estética do supermercado, com sua iluminação bem clara, prateleiras organizadas e o colorido atrativo de embalagens de produtos. Tudo isso contrasta, por exemplo, com os bastidores na sala onde uma segurança assiste às câmeras e passa instruções para os colegas. À noite, um período que pouco é mostrado no filme, diz alguém que o lugar é assombrado.
 
Um dos funcionários, uma espécie de “filósofo” do estoque, admite que acha “interessante” a ideia de Yankelevich fazer um filme sobre o supermercado e seus funcionários e funcionárias. Ao mesmo tempo, duvida da potência do projeto: “mas [como pode ser] diversão de alguém, que é o cinema... será?”. A verdade é que ele parece ter se enganado. Meu querido supermercado é um filme bastante sério em sua investigação da dinâmica alienante do universo do trabalho, mas disso também a documentarista tira matéria de puro cinema, em seu olhar com carinho pelo material humano.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança