Cravos

Cravos

Ficha técnica

  • Nome: Cravos
  • Nome Original: Cravos
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2020
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 107 min
  • Classificação: 14 anos
  • Direção: Marco Del Fiol
  • Elenco:

País


Sinopse

Tendo como fio condutor o fotógrafo Christian Cravo, o documentário resgata as trajetórias de seu pai, o também fotógrafo Mario Cravo Neto, e seu avô, o escultor Mario Cravo Junior, e revela as conturbadas relações familiares de um clã ligado às artes.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

22/11/2021

O documentário de Marco Del Fiol pode parecer, num primeiro momento, um filme sobre três gerações de artistas de uma mesma família. Mas a complexidade do longa está em, mais do que investigar a arte, esmiuçar uma dinâmica familiar que une e, às vezes, separa os membros do clã. Tendo como fio condutor o fotógrafo Christian Cravo, resgata a trajetória do seu pai, o também fotógrafo Mario Cravo Neto, morto em 2009, e do avô, o escultor Mario Cravo Junior, que morreu em 2018.
 
Del Fiol acompanha Christian em três viagens pelo continente africano: Tanzânia (2012), Uganda (2013) e Namíbia (2014). Ao seguir seu trabalho, o documentário registra um renomado fotógrafo em ação que, entre uma fotografia e outra, começa a contar a história de sua família. Ele, que quase se chamou Mario Cravo Bisneto (sua mãe dinamarquesa impediu isso), também tem dois irmãos, Akira e Lukas, filhos do segundo casamento de seu pai e que também trabalham com fotografia.
 
Christian não custa a aceitar a influência de seu pai na escolha de sua profissão, embora não tenha havido qualquer pressão. Apesar de também ser fotógrafo, ele trilhou caminhos diferentes de Mario Cravo Neto, saindo da Bahia para trabalhar. Suas imagens, que são, em sua maioria, de natureza, são impressionantes – assim como as do pai, mas que tinham outro foco.
 
Gravações que a família fez ao longo dos anos também trazem um material rico para o filme, mostrando a relação conflituosa entre pais e filhos. As disputas continuam ainda (em especial) depois da morte de Mario Cravo Neto, quando a irmã dele, Kadi Cravo, se toma como guardiã do acervo de fotos e se nega, como mostra o filme, a cumprir os desejos do irmão.
 
Christian se queixa do pai ausente, que pouco ligava para o filho e foi morar na Dinamarca com a mãe e a irmã, Lua, depois do divórcio dos pais. É na fotografia e nos sonhos, quando dorme, que parece acessar seus conflitos emocionais mais profundos. O filme, por sua vez, tem um olhar ao mesmo tempo curioso e respeitoso, sobre essa relação delicada das três gerações da família Cravo.
 
O que mais parece interessar a Del Fiol em Cravos é a como a construção hegemônica da masculinidade impede os homens de saberem lidar com seus próprios sentimentos. As relações entre pais e filhos, pautadas por isso, acabam impedindo que os laços sejam mais honestos e plenos. A família do filme é um exemplo claro disso.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança