Ghostbusters – Mais Além

Ficha técnica


País


Sinopse

Callie e seus filhos, Trevor e Phoebe, mudam-se para um sítio que herdaram na perdida cidadezinha de Summerville, antes habitado pelo pai de Callie, com quem ela nunca mantinha contato. A casa, caindo aos pedaços e cheia de bugigangas, esconde segredos que ajudarão os garotos a enfrentar os estranhos fenômenos e aparições que começam a acontecer por ali.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

11/11/2021

Reconectando, de todas as formas, com o impagável sucesso Os Caça-fantasmas (1984), o novo capítulo da franquia, Ghostbusters: Mais Além, realiza o desafio de ao mesmo tempo compor uma homenagem emocionante e avançar na criação de uma ponte com as novas gerações e um novo público. 
 
Por trás das câmeras, houve uma passagem de bastão de pai para filho, no caso, de Ivan Reitman, diretor do filme original, aqui produtor, para Jason Reitman, agora na cadeira de diretor e corroteirista - contando com a preciosa parceria de Dan Aykroyd, um dos caça-fantasmas veteranos, e de Gil Kenan neste roteiro. 
 
O time resgata do enredo original a estranheza de um primeiro contato com as aparições fantasmagóricas. Agora mudando o cenário de Nova York para Summerville, uma sonolenta cidadezinha no interior mais remoto dos EUA, que vira o endereço da família principal da história, Callie (Carrie Coon), mãe solteira de dois filhos adolescentes, Trevor (Finn Wolfhard) e Phoebe (McKenna Grace). Callie herdou, de um pai com quem nunca manteve contato, uma espécie de fazenda abandonada, que abriga uma casa caindo aos pedaços, uma porção de bugigangas e nenhuma plantação ou cabeça de gado. Parece péssimo, mas Callie não está em condições de exigir muito. Acabou de ser despejada na cidade e não tem outra solução melhor. 
 
Depois do choque inicial, esse lugar perdido no mundo, no entanto, não parece tão ruim assim para seus filhos. Trevor acaba encontrando sua turma quando pega um emprego na única lanchonete local, onde reina sua musa, a garçonete Lucky (Celeste O’Connor). A reservada Phoebe, por sua vez, vai se maravilhar com as traquitanas deixadas pelo avô desconhecido, ela que é uma cientista aplicada. Além disso, ela encontra um amigo no tagarela Podcast (Logan Kim), o melhor parceiro que se pode ter numa cidade abalada diariamente por tremores de terra e onde os fenômenos paranormais não tardam a se manifestar.
 
Jason Reitman assina um filme que realiza muito bem a tarefa de fundir o estranho ao engraçado, caprichando em piadas rápidas e extraindo humor de encontros acidentados e personagens extravagantes pero no mucho - caso do sr. Grooberson (Paul Rudd), o professor da escola dos meninos que pouco a pouco diz ao que veio. 
 
Na medida em que o enredo incorpora boas e velhas aparições que os fãs dos filmes de 1984  e 1989 vão reconhecer, além de geringonças como o Ecto-1, o filme vai ganhando corpo, ritmo de aventura com toques sinistros e abrindo espaço para homenagens que apostam numa boa dose de emoção - aqui, spoilers seriam mais crimes do que nunca. Não faltam nem mesmo ceninhas pós-créditos com um toque nostálgico. 

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança