Meu Fim. Seu Começo.

Ficha técnica


País


Sinopse

Aron e Nora são um jovem casal apaixonado, mas uma tragédia acaba com esse romance. A vida da jovem irá se cruzar com a de Nathan, um homem desesperado para conseguir dinheiro e salvar sua filha pequena, que está com leucemia.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

27/09/2021

Meu fim. Seu começo., longa de estreia da diretora e roteirista alemã Mariko Minoguchi, é um filme de truques narrativos que aspiram a grandes comentários sobre o destino. Suas inspirações são claramente longas de histórias múltiplas, que embaralham o tempo e causam estranhamento, como o espanhol Os amantes do Círculo Polar, de Julio Medem, e Cidade dos Sonhos, de David Lynch. Obviamente, e especialmente por ser estreante, ela não alcança tal nível de complexidade e arte, mas o esforço aqui é válido.
 
“Já encontrou uma pessoa e sentiu que a conhecia há muito tempo?”, pergunta o físico Aron (Julius Feldmeier), no começo do filme. Aí a diretora, que também assina o roteiro, Minoguchi já dá suas cartas. O longa todo gira em torno dessa ideia. A explicação para essa sensação, continua o personagem, “vai desde erros de sincronização do cérebro à reencarnação”. Aqui, no entanto, não há interesse no metafisico do espiritismo, mas no material dos encontros e desencontros no mundo físico.
 
Aron tem uma namorada, Nora (Saskia Rosendahl, uma presença marcante), e os dois são muito apaixonados. Ele crê que foram feitos um para o outro e se encontrariam não importa como, mas ela acredita mais no acaso, numa coincidência terem se conhecido e apaixonado. Uma tragédia, no entanto, acaba com o romance.
 
Depois disso, Nora conhece Natan (Edin Hasanovic), com quem acaba se encontrando, por acaso, diversas vezes. Ele é o protagonista da outra ponta da narrativa, que descobre que sua filha pequena, Ava (Marta Bauer), sofre de leucemia, e o tratamento é caríssimo. Depois de perder o emprego, como vigia noturno em um supermercado, por meio de um amigo de infância, descobre uma maneira criminosa de ganhar dinheiro.
 
Minoguchi constrói cuidadosamente as duas linhas do filme, mantendo suspense durante a primeira parte. No entanto, com o tempo, fica óbvio como elas irão se cruzar e o que liga Nora e Nathan. Conforme alterna as perspectivas narrativas, Meu fim. Seu começo tem dificuldade em se manter em pé, e, com quase 2 horas, mostra-se longo demais.
 
Seus questionamentos sobre relatividade não são tão originais assim, mas, de qualquer forma, Minoguchi se mostra uma diretora interessante na construção das personagens e seus dramas pessoais. Se ela e seu filme não tivessem enveredado por caminhos de truques baratos sobre o tempo e a existência, o longa teria mais força. E também se reduzisse a ambição e se concentrasse nos dramas humanos, nos quais estão o seu poder e potencial.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança