Mães de Verdade

Ficha técnica


País


Sinopse

Kiyokazu e Satoko são casados, sonham ter um filho, e acabam adotando um bebê. Seis anos depois, são procurados pela mãe biológica da criança, que pede uma alta quantia de dinheiro ou tomará a criança de volta.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

12/05/2021

Diretores japoneses são, há algum tempo, aqueles que têm lidado da forma mais sutil e delicada com inúmeros aspectos do intimismo familiar. É o caso de Hirokazu Kore-eda (Ninguém pode saber, Pais e Filhos, Assunto de Família) e também de Naomi Kawase, diretora que já assinou Esplendor, Sabor da Vida e O segredo das águas.
 
Mães de Verdade, novo filme de Kawase, debruça-se sobre o tema da maternidade a partir da adoção de um bebê por um casal, Satoko (Hiromi Nagasaku) e Kiyokazu (Arata Iura). Trata-se do filho de uma adolescente, Hikari (Aju Makita), forçada pelos pais a abrir mão do fruto de um relacionamento com um colega de escola.
 
Kawase extrai intensidade de situações como os encontros dos pais com esta garota, que se darão em dois momentos, para colocar em questão aquilo que realmente lhe interessa - o que é, afinal, a legítima maternidade? 
Se a pergunta já foi feita inúmeras vezes, em melodramas mais ou menos lacrimosos ao longo da história do cinema, aqui ela se beneficia do foco minimalista e da sensibilidade da diretora para extrair de seus atores o desempenho de um leque nuançado de emoções. Kawase nos aproxima dos dilemas do casal maduro, feliz e bem-realizado profissional e economicamente diante da própria dúvida se querem mesmo adotar um filho. Também não se esquiva de penetrar no universo das emoções adolescentes para entender o ponto de vista de Hikari.
 
Entre um e outro, a diretora nos introduz a uma peculiar organização mediadora de adoções, um detalhe que insere uma certo caráter empresarial nesta atmosfera, ainda que não destituída de cuidados. 
 
Trafegando num território já tão trilhado, a disputa dessa criança assume direções mais complexas do que habitualmente vemos no cinema, permitindo ao espectador realmente embarcar em vários aspectos da questão - sem os chiliques e os episódios de tribunal que caracterizam tantas produções hollywoodianas, o que limpa o terreno para o que verdadeiramente interessa, a descontaminação do sentimento de posse e a possibilidade de compartilhamento dos afetos.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança