Small Axe: Lovers Rock

Ficha técnica


País


Sinopse

Saindo escondida de casa, Martha vai a uma festa com sua melhor amiga. Lá ela conhece Franklyn, por quem se apaixona. Juntos, esperam viver uma história de amor numa sociedade opressora e racista.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/03/2021

Seria possível que Steve McQueen fez um filme inteiro apenas para uma cena? Ou, indo além, apenas para tocar uma música específica nesse momento? A resposta parece ser sim. Loves Rock, que faz parte da coletânea Small Axe, tem ao centro uma das cenas mais potentes do cinema em muito tempo: uma festa ao som da voz de Janet Kay, cantando Silly Games. O longa fez parte da seleção do Festival de Cannes de 2020, que não aconteceu por conta da pandemia.
 
O roteiro do filme, assinado por McQueen, pelo escritor e rapper Courttia Newland e Rebecca Lenkiewicz, é todo construído para chegar a esse momento climático, que é uma espécie de transe numa festa abafada e aglomerada na qual o sentido de pertencer a uma comunidade, onde se pode encontrar apoio entre iguais, é mais forte do que nunca. Nesse sentido, o filme lida praticamente com uma utopia, um lugar onde jovens ingleses e inglesas de ascendência caribenha e africana podem sonhar com um futuro melhor, repleto de amor e camaradagem.
 
O cenário é o bairro de Ladbroke Grove, na zona oeste de Londres, e a época é algum momento dos anos de 1980, numa festa apinhada de jovens com os hormônios em ebulição. Acompanhamos essa festa, uma única noite, repleta de acontecimentos, descobertas, estranhamentos, ressentimentos e decepções. Com uma narrativa solta, Lovers Rock, cujo título refere a um tipo de reggae romântico, é quase como um transe, e um filme que merecia ser visto em tela grande.
 
Amarah-Jae St. Aubyn é uma atriz estreante impressionante que deixa uma grande marca em seu primeiro papel, Martha, uma jovem toda empolgada para ir à festa com sua amiga Patty (Shaniqua Okwok). No local, precisam disputar lugar e livrar-se da atenção excessiva dos homens que parecem devorá-las com os olhos – entre eles, Franklyn (Micheal Ward) e seu amigo Reggie (Francis Lovehall).
 
Lovers Rock é uma história de amor, mas também uma cápsula para uma viagem no tempo, um momento perdido no passado, quando festas para jovens negros e negras precisavam acontecer em casas, uma vez que não eram bem-vindos em clubes noturnos. Pagava-se 50 centavos para entrar e as comidas e bebidas eram avulsas.
 
Com a colaboração do diretor de fotografia Shabier Kirchner, McQueen realiza um filme altamente sensorial, sem se preocupar muito com narrativa, mas com a construção de um momento, algo que parece justificar toda a sua existência. Lovers Rock é um filme que parece perdido em si mesmo, enamorado de si mesmo – tal qual seu casal de protagonistas apaixonados.
 
Clique aqui para ler entrevsita com Steve McQueen sobre a série Small Axe

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança