Casa

Ficha técnica

  • Nome: Casa
  • Nome Original: Casa
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2019
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 94 min
  • Classificação: 12 anos
  • Direção: Letícia Simões
  • Elenco:

País


Sinopse

Quando a mãe, Heliana, entra em um surto de depressão, a cineasta Letícia Simões volta para sua terra natal, em Salvador. Lá, reconstroi memórias de infância e entra no meio do duelo entre a mãe e a avó, Carmelita, um relacionamento cheio de mágoas.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

10/11/2020

Uma alta voltagem emocional impregna Casa, um documentário profundamente pessoal da diretora baiana Letícia Simões, revisitando suas relações familiares com a mãe e a avó.
 
Diretora de filmes intimistas, calcados na literatura - como O Chalé é uma Vida Batida de Vento e Chuva (2018) -, Letícia envereda com coragem neste entremeado de lembranças, rancores e afetos que perpassa suas ligações com a mãe, Heliana, que sofre de depressão e bipolaridade, e a avó, Carmelita. É um filme de momentos ciclotímicos, percorrendo em ondas seus altos e baixos, como um fluxo de vida. Sua vitalidade se imprime nestas conversas, não raro doloridas, algumas exasperantes, tecendo o fio desta família toda feminina - os homens nunca são vistos, exceto em fotos, embora constantemente mencionados nos relatos e cartas, material privilegiado para a construção desta narrativa.
 
Depois de vários anos, Letícia volta a Salvador - que ela diz detestar - para cuidar da mãe, em crise bipolar. O filme, aliás, é a maneira pela qual a própria Heliana aceita se relacionar com um turbilhão de memórias passadas trazidas à tona neste convívio com a filha, tornando-se ele mesmo uma espécie de instrumento de mediação nos impasses entre as duas. As emoções, no entanto, estão quase sempre à flor da pele, e a diretora não se mostra disponível para conciliações - parece querer chegar ao fundo de tudo que a formou, que constitui sua identidade.
 
Falar em remexer baú de memórias aqui, é literal e físico - Heliana guarda a sete chaves um enorme arquivo, recheado de fotografias das várias gerações da família e seu entorno, recortes de jornais, até os diários infantis de Letícia. Restringe o acesso até mesmo à filha, mas concorda em compartilhar parte dele no filme. Daí emergem fotos da infância de Letícia, da casa em Itaparica onde passou algumas férias, invocando situações e personagens cuja visão é disputada entre mãe e filha.
 
Uma terceira presença, a da avó, Carmelita, que hoje vive numa residência de idosos, completa o fogo destas memórias. Não é fácil para Letícia procurar conciliar as duas, num processo de exposição de mágoas recíprocas que encobre mal o afeto, apesar de tudo.
 
Em mais de um momento, neste mergulho nas três gerações deste clã, os espectadores podem sentir-se tragados para dentro do turbilhão de sentimentos contraditórios que formam qualquer família, feliz ou infeliz a seu modo, como já descobriram há muito tempo os escritores russos. 
 
Casa venceu o prêmio de melhor filme no 8o. Olhar de Cinema (2019) pelo júri da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).
 



Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança