Viver para cantar

Ficha técnica

  • Nome: Viver para cantar
  • Nome Original: Huo zhe chang zhe / To live to sing
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: China
  • Ano de produção: 2019
  • Gênero: Drama
  • Duração: 105 min
  • Classificação: 12 anos
  • Direção: Johnny Ma
  • Elenco: Xiaoli Zhao, Guidan Gan, Xihu Yan

País


Sinopse

Zhao Li é a responsável por uma pequena trupe de artistas de Ópera de Sichuan, que vivem e trabalham num teatro decrépito. Quando recebem um aviso de que o local será demolido para a construção de um prédio, precisam dar novos rumos às suas vidas.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

13/10/2020

Um embate entre tradição e modernidade é o que pauta o longa chinês Viver para cantar. Isso se dá em dois planos: tanto na narrativa, quando uma trupe da tradicional Ópera de Sichuan está prestes a perder o seu teatro, que será destruído para construção de edifício, quanto no próprio cinema, uma forma de representação que preza pelo naturalismo, tentando captar algo tão calcado em ornamentos e exageros. O resultado do filme, escrito e dirigido por Johnny Ma, é algo emocionante, emotivo e repleto de sinceridade.
 
Os artistas da Ópera são interpretados por atores e atrizes desse tipo de espetáculo, vivendo aqui versões deles e delas. Zhao Xiaoli interpreta Zhao Li, a líder de um grupo que já trabalhou e conviveu tanto tempo juntos que praticamente se tornaram uma família. Ela comanda com mão firme o seu espetáculo, resistindo a sugestões de o transformar numa espécie de circo e levá-lo a restaurantes. Sua última esperança de sucesso é sua sobrinha, a jovem Dan Dan (Gan Guidan), mas, esta, por sua vez, tem seus próprios planos e não é a única da trupe. Tudo piora quando recebem o aviso de que o teatro será derrubado.
 
O diretor Ma tem um olhar carinhoso para as classes trabalhadoras no subúrbio, longe dos grandes centros, marginalizadas e esquecidas por aquilo que ficou conhecido como o Sonho Chinês. É um retrato curioso e intimista, que, em certos momentos, faz lembrar uma espécie de Ken Loach na China. Mas, contrastando com o realismo, há uma fantasia repleta de colorido e tons lúdicos, ressaltados pela fotografia de Matthias Delvaux.
 
O que Ma, um diretor sino-canadense, é capaz de materializar em seu filme é o dilema da China contemporânea. Como manter a tradição milenar diante do desenvolvimento e de novas gerações que olham apenas para o futuro, colocando em risco a identidade nacional diante do avanço econômico ? É esse movimento que Viver para cantar capta tão bem e, como não poderia deixar de ser, a atmosfera de melancolia, do fim de uma era que agoniza, é o que dá o tom.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança