Amor, Paris, cinema

Ficha técnica


País


Sinopse

Arnaud quer fazer seu segundo filme e também ter um filho com sua mulher. Nada dá certo, eles acabam se separando e, sem boas ideias, ele se inspira na sua própria vida para escrever um longa.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

26/09/2017

O título original dessa comédia dramática francesa – Arnaud faz seu segundo filme – dá a dimensão exata do longa escrito, dirigido e protagonizado por Arnaud Viard (o ator francês de Paris pode esperar). O cineasta realizou seu primeiro longa em 2004 (Clara et moi) e desde então tenta fazer o segundo. Nesses mais de dez anos, envolveu-se em diversos projetos como ator, inclusive na televisão, o que, a seu ver, diminuiu sua respeitabilidade.
 
A comédia brinca com isso, a dificuldade de um cineasta independente realizar um filme, a eterna luta entre alta cultura e cultura de massas e as relações pessoais do personagem Arnaud, calcado no seu criador. A figura fictícia é casada com Chloe (Irène Jacob), com quem tenta ter um filho por inseminação artificial, mas isso também não está dando certo.
 
Nada na vida dele, aliás, está funcionando. Sem dinheiro e tentando encontrar uma ideia para um novo filme, Arnaud vai dar aulas de atuação – e nem é muito respeitado pelos alunos porque já trabalhou na televisão – quando conhece Gabrielle (Louise Coldefy), aspirante a atriz famosa (isso ela deixa bem claro), e sua vida muda.
 
Com algo de Woody Allen e uma clara metalinguagem, Viard brinca com conceitos e ideias sobre o cinema francês contemporâneo, que parece prezar as produções “de arte”, mas, no fundo, como qualquer indústria, é movida pelos lucros exorbitantes.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança