Uma vida comum

Ficha técnica


País


Sinopse

John é um funcionário público que cuida do funeral e procurar a família das pessoas que morreram sozinhas. Ele leva sua função bem a sério, e é feliz ao seu modo. Porém, transformações chegam, e a vida dele jamais será a mesma.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

29/05/2014

O ator inglês Eddie Marsan, mais conhecido como o instrutor de condução nervosinho da protagonista da comédia Simplesmente Feliz, é o protagonista deste drama com toques de humor sobre um funcionário público, John May, cujo trabalho consiste em localizar parentes de pessoas que morreram sozinhas. Como nem sempre consegue resolver a questão, cuida, ele mesmo, dos procedimentos post mortem. Em alguns casos, é a única pessoa presente no funeral.

O personagem não parece nada incomodado com a morbidez de seu trabalho, chegando a colecionar um álbum com fotos de cada uma das pessoas de quem cuidou. Quando necessário, também escreve e profere o discurso antes do enterro.

Escrito e dirigido por Uberto Pasolini, Uma vida comum aborda as vidas e oportunidades desperdiçadas – e isso não se refere apenas às pessoas que morrem sozinhas. O próprio May, ensimesmado em sua trajetória, é um deles. Quando o protagonista se vê diante de seu último “caso”, então, surge o sentimento de desperdício e o despertar para uma mudança.

Marsan é ótimo e sua presença na tela é forte – equilibrando a compaixão e a excentricidade do personagem. Pasolini, no entanto, perde a chance de acrescentar mais camadas ao filme e ao protagonista. Se Uma vida comum percorre alguns caminhos óbvios, nem por isso deixa de torná-los interessantes.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança