Uma aventura na Martinica

Uma aventura na Martinica

Ficha técnica


País


Sinopse

Durante a Segunda Guerra Mundial, Harry Morgan é um expatriado americano que vive na Martinica e ajuda a transportar um líder da Resistência Francesa e sua mulher, enquanto acaba se envolvendo com uma cantora misteriosa.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

03/01/2022

Conta a lenda que Howard Hawks apostou com Ernest Hemingway que poderia fazer um grande filme a partir do pior romance do escritor, e escolheu para tal Ter e Não Ter. Mas, para ganhar a disputa, modificou boa parte da trama, trocou o cenário de Cuba dos anos de 1930 para a Martinica da Segunda Guerra,  porém, mantendo alguns outros elementos como personagens (embora com mudanças significativas) e diálogos. O resultado é Uma Aventura na Martinica, laureado por muitos como um dos maiores filmes do cineasta.
 
Com roteiro assinado pelo escritor William Faulkner e Jules Furthman, o filme também marca a primeira parceria entre Humphrey Bogart e a estreante Lauren Bacall  - eles ainda fariam três outros longas juntos, além de se casarem. Apesar do notório nervosismo da atriz, ao contracenar com um astro tão estabelecido, a química entre eles na tela também é perceptível.
 
Apesar de facilmente comparável com Casablanca (numa competição em que nem sempre Uma Aventura na Martinica leva a melhor), o filme se mantém por seus próprios méritos, em especial a presença do casal de protagonistas. A trama começa já na Martinica, pouco depois da tomada de Paris pelos nazistas. Harry Morgan (Bogart) é um expatriado americano vivendo na cidade Fort de France, onde ganha a vida transportando, em seu barco, turistas para pescar em alto-mar.
 
Na mesma cidade, está a jovem Marie Browning (Bacall), abandonada sem dinheiro. Quando tenta roubar um cliente de Morgan, acaba pega por ele. Ao mesmo tempo, ele deve transportar o casal Paul (Walter Molnar) e Hellene de Bursac (Moran), que participam da Resistência. Harry acaba tendo que fazer uma escolha quando lhe é oferecida, pelo Captain Renard (Dan Seymour), uma espécie de simpatizante nazista, uma grande soma em dinheiro para entregar o casal.
 
Uma Aventura na Martinica, apesar do título nacional, não é bem um filme de aventura, está mais para um drama romântico, com algumas pitadas de submundo. Mas o que mais se destaca aqui é Bacall, uma personalidade e presença cinematográfica que se tornaria marcante ao longo dos anos.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança