Crupiê - A Vida em Jogo

Ficha técnica


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

11/02/2003

O veterano diretor inglês Mike Hodges (de Carter, o Vingador, 1972) enfrentou inúmeras dificuldades para lançar este longa-metragem. Sem distribuidor na Inglaterra, o filme só decolou após ser comprado, dois anos depois do lançamento, por uma distribuidora independente americana. Estreou em 17 salas nos Estados Unidos e quando o público e a crítica o descobriram, o circuito de exibição aumentou para 132 salas e ficou em cartaz durante 27 semanas, faturando mais de US$ 6 milhões.

Hodges dá um tom noir para este drama vivido por um escritor em busca do personagem ideal. Jack Manfred (Clive Owen, de Assassinato em Gosford Park) está desempregado e os editores a quem procura não se interessam por seus livros. Ele mora num pequeno apartamento de subsolo e, para completar, é sustentado pela namorada policial, Marion (Gina McKee). Sem nenhuma perspectiva de melhora em sua conta bancária, resolve aceitar a ajuda do pai, um ex-crupiê e jogador inveterado de quem procura manter a maior distância possível.

As conexões paternas só podem levá-lo a conseguir um emprego em um cassino de Londres. Muito a contragosto, Jack reinicia sua jornada no submundo que tanto detesta. Para sobreviver ao que considera um fracasso, coloca em primeiro plano a investigação deste mundo para desenvolver os personagens do que vislumbra poder ser o seu melhor livro. De início, Jack mantém uma postura distante de observador mas, aos poucos, vê-se envolvido com várias pessoas a quem pensa estar apenas usando para sua história.

O recurso de narração em off - na voz de Jake, o personagem principal do livro -, que Hodges utiliza, demonstra a confusão mental e emocional em que o escritor passa a viver, quando tem de se confrontar com seus velhos fantasmas. Coloca em risco sua relação com a namorada quando tem um ligeiro caso com uma outra crupiê (Kate Hardie). Mas sua ligação mais perigosa acontece mesmo com Jani (Alex Kingston), uma sul-africana viciada em jogo e enterrada em dívidas. Jack deixa o conforto da proteção atrás dos dados para entrar numa vertiginosa aventura, que envolve inclusive um roubo ao cassino.

Crupiê - A Vida em Jogo não é exatamente um filme para multidões, mas é um belo exemplar do cinema britânico, que ao tratar do submundo, dá destaque à construção psicológica dos personagens, sem precisar utilizar-se da violência para mostrar a crueldade cotidiana na vida dos marginalizados. Com um roteiro afiado e uma direção segura, este filme é uma boa surpresa.

Cineweb-26/4/2002

Ana Vidotti


Comente
Comentários:
  • 25/08/2013 - 12h07 - Por Herbert Espero que tudo dê certo!
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança