Selvagem [2006]

Ficha técnica

  • Nome: Selvagem [2006]
  • Nome Original: The Wild
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2006
  • Gênero: Animação
  • Duração: 94 min
  • Classificação: Livre
  • Direção:
  • Elenco:

País


Sinopse

Quando o pequeno leão Ryan foge de casa, ele acaba indo parar numa floresta. Com ajuda de alguns amigos, o pai dele, Sansão, vai em busca do filhote. Longe de casa, perdidos no meio da selva, os animais vão viver diversas aventuras.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

10/04/2006

Grupo de animais foge do zoológico de Nova York e acaba indo parar num paraíso tropical. Eles enfrentam diversos problemas, principalmente porque são bichos urbanos, e nunca estiveram em contato com a natureza. Estamos falando de Madagascar, certo? Não só, mas também. É incrível a semelhança que essa animação tem com Selvagem, o novo desenho da Disney, que parte da mesma premissa com resultados bem semelhantes.

Surge a inevitável dúvida: quem copiou quem? Embora Madagascar tenha chegado aos cinemas antes, é de se desconfiar que a Dreamworks-SKG possa ter plagiado a Disney. Quando Katzemberg deixou os estúdios do Mickey e abriu sua própria produtora ele parece ter levado diversas idéias consigo – só assim para explicar a semelhança entre projetos tão parecidos e lançados tão perto, como Armagedon e Vida de Inseto (Disney) e Impacto Profundo e Formiguinhaz (Dreamworks).

Independente de plágio, coincidência ou qualquer outro nome que o caso possa ter, Selvagem tem algo mais em comum com Madagascar. Nenhum dos dois filmes realmente empolgam de verdade seu público, são, no máximo, divertidos, com personagens bonitinhos, mas nunca chegam a um nível elevado, como Procurando Nemo, por exemplo.

Em sua defesa, esse “Madagascar Redux” tem o padrão Disney, o que, por si só, garante diálogo com o público infantil – uma barreira mais difícil para Madagascar e seu ritmo anárquico-histérico. Além de suas mensagens edificantes, o longa traz músicas pegajosas e personagens fofofinhos, prontos para se transformar em bichos de pelúcia.

Sansão é um leão do Zoo de Nova York, onde é uma das principais atrações do local. O felino se transformou numa lenda entre os outros animais ao contar suas histórias de coragem, quando enfrentou diversos animais quando não vivia em cativeiro. Seu maior fã é seu filho pequeno, Ryan, que sonha em ser como o pai.

Mas como o filhote não tem um rugido forte, ele é motivo de chacota no zoológico, e acha que causa vergonha para o seu pai. Ryan acaba indo parar numa caixa e é despachado sabe-se lá para onde. Com a ajuda dos pombos, Sansão descobre que seu filho foi para o porto da cidade.

Sansão, uma girafa, um esquilo, uma cobra e um coala saem em busca do pequeno Ryan, e vão parar num pequeno barco, e deportam num paraíso tropical e selvagem. Lá, é claro, vão superar medos, revelar segredos e encontrar com as raízes na natureza que nunca tiveram.

Selvagem vale mais por suas partes do que pelo todo. Seus personagens geram momentos bons isolados, mas, que, no conjunto do filme, não o elevam. O esquilo é apaixonado pela girafa, que não liga para ele. A cobra é meio burra e sempre fala bobagens. Já o coala, de origem inglesa, é uma estrela do zoológico e está cansado de ser idolatrado. Os diversos animais coadjuvantes também representam várias etnias, como os pombos indianos, e as joaninhas que são alemãs. Essa animação pode não ter momentos específicos para os adultos, com algumas piadas mais sofisticadas, porém, nem posso chega a ser cansativa. Selvagem é um bom passatempo, embora deixe uma estranha sensação de déjà vu em quem viu Madagascar.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança