O Galinho Chicken Little

Ficha técnica

  • Nome: O Galinho Chicken Little
  • Nome Original: Chicken Little
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2005
  • Gênero: Animação, Infantil
  • Duração: 81 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Mark Dindal
  • Elenco:

País


Sinopse

Chicken Little é um galinho que é motivo de chacota em toda cidade, para vergonha de seu pai. Um ano depois de deixar todos assustados dizendo que o céu está caindo, ele acaba num jogo de beisebol que poderá salvar a sua fama. Mas a ameaça de uma invasão alienígena pode balançar a credibilidade da ave.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/11/2005

O Galinho Chicken Little chega com a árdua tarefa de ser o primeiro longa produzido pela Disney em 3-D e mostrar que o estúdio pode ser superior aos outros. Poucos minutos de filme já servem para deixar a platéia se perguntando ‘onde está a Pixar quando a gente precisa dela?’. Os personagens até são bonitinhos – mas não dá para fazer um filme de uma hora e meia calcado apenas no fato de ter criaturas fofinhas, mas sem roteiro ou o mínimo de sagacidade.

Culpa da Dreamworks e da Pixar que com longas como Shrek, Toy Story, Procurando Nemo e Os Incríveis acostumaram 'mal' as pessoas – ou, na linguagem que eles preferem, estabeleceram um novo padrão. Seja em questão de animação ou roteiro, esses filmes são todos de alta qualidade e entretêm tanto crianças quanto adultos com um visual sofisticado e uma história inteligente e cheia de boas sacadas.

O Galinho Chicken Little não se salva nem em um, nem no outro quesito. A animação dele não é ruim, mas passa longe da qualidade técnica de um Toy Story, por exemplo. As criaturas parecem ser o que são, apenas desenhos feito em computador. Já o roteiro, um pastiche de vários clichês, não ajuda em nada a dar vida a esses seres.

Chicken Little é um galinho que só faz besteiras e não é popular na escola – ou seja, o típico loser do universo norte-americano. Na primeira cena do filme, ele está badalando o sino da prefeitura e colocando todos em polvorosa dizendo que o céu está caindo. Quando o mal entendido é resolvido (era apenas uma noz), o pai dele fica sem graça e com vergonha do filho.

Um ano mais tarde, a pequena ave ainda é motivo de gozação – até mesmo um filme foi feito. E ele não consegue superar o trauma. Os únicos amigos de Chicken Little são tão impopulares quanto ele e restringem-se à feiosa gazela Hebe, um porco e um peixe. Com o tempo, o galinho até consegue se dar bem em um jogo de beisebol, mas o filme acaba se transformando numa versão de Guerra dos Mundos com seres antropomórficos nos papéis de humanos e se perde de vez mergulhando em todos os clichês do gênero.

Para ajudar a tornar o filme mais incompreensível ainda há algumas músicas cantadas pelos personagens. Uma delas é algo como “eu te magôo/ você me magoa/ nós nos magoamos tão facilmente”, e se refere à tensa relação entre Chicken Little e seu pai viúvo que pouco conversam. Já é mais do que hora de esses ‘animais’ irem ao analista ao invés de tentar superar seus traumas e medos no cinema.

É claro que O Galinho Chicken Little vai faturar algo nas bilheterias e ganhar mais ainda com vários produtos baseados no filme – desde bonequinhos até linha escolar – e muita gente vai tomar como qualidade o sucesso financeiro do longa. Assim como vai ter muita criança pensando que aves têm dentes toda vez que se lembrar do sorriso do personagem principal.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança