Super Escola de Heróis

Ficha técnica

  • Nome: Super Escola de Heróis
  • Nome Original: Sky High
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2005
  • Gênero: Comédia, Fantasia
  • Duração: 100 min
  • Classificação: Livre
  • Direção:
  • Elenco:

País


Sinopse

Will é o filho de dois super heróis que acaba de entrar para a Sky High, uma escola especializada em crianças com super poderes. Mas o menino ainda não descobriu do que é capaz, e para desgosto do seu pai ele é classificado apenas como ajudante. Mas ele tentará reverter essa situação.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

04/10/2005

Todos sabem o que esperar dos filmes produzidos pelos estúdios Disney. Invariavelmente para crianças, são melodramas em que o objetivo é sempre comprovar as qualidades valorosas dos protagonistas, apesar dos obstáculos viciosos que enfrentam pelo caminho. Numa lógica aristotélica, são exemplos de como os espectadores devem tomar suas decisões em harmonia com a correta ação e decisão, exercendo exponencialmente suas virtudes.

Com bases nesses preceitos, tornou-se suspeito por parte do estúdio deixar nas mãos do diretor Mike Mitchell a tarefa de levar às telas uma história com tais preocupações. Afinal, o cineasta é responsável, dentre a lista de intoleráveis produções, por Gigolô por Acidente e Sobrevivendo ao Natal, que pouco – ou nada – se assemelham a idéia de Super Escola de Heróis.

O novo filme Disney soma-se ao Sexta-Feira muito Louca, Operação Cupido e Diário de Princesa na linha de textos moralizantes, em que a mensagem supera a técnica ou as deficiências de roteiro. O próprio nome já indica essa posição, antecipando uma história de aprendizado adolescente, por mais que se desenrole em um mundo hipotético de super-heróis.

Entre os que lutam contra o crime com seus poderes sobrenaturais estão o Capitão Stronghold (Kurt Russell) e Josie Jetstream (Kelly Preston), cujo filho Will (Michael Angarano) está prestes a entrar na prestigiosa Sky High, onde apenas filhos de heróis podem entrar. Lá são preparados para sua vida adulta, antevendo as jogadas de vilões e como manter sua identidade secreta. O básico, por assim dizer.

No entanto, Will não parece ter qualquer poder, apesar de ser filho dos mais poderosos super-heróis do mundo. Por isso, é relegado a cargos de ajudante (tal como Robin era para Batman), junto com outros estudantes de pouco potencial São conhecidos como sidekicks, que, mais tarde deverão mostrar valor, quando a escola é ameaçada.

Além de suas lições claras e quase didáticas , o filme chama atenção pela energia e entusiasmo do elenco, principalmente o infantil, com o acertado tom humorado dado à trama. Mesmo os aficionados por comics poderão desfrutar dos mais engenhosos detalhes que parecem ser extraídos de quadrinhos. São qualidades que realmente deixam a produção genuinamente divertida.

Mike Mitchell cala suspeitas de que não deveria levar adiante este projeto. Seu trabalho honesto e divertido garante o um programa familiar com todos os ingredientes Disney à disposição. Principalmente pela bem acertada trilha sonora dos anos 80 que irrompe nas mais cômicas situações. Um acerto para o estúdio também, que não tem conseguido sucesso com as animações que o tornaram grande.

Rodrigo Zavala


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança