Entrevistas

Rosi Campos, entre o Bixiga e o Uruguai, em “Amigas de Sorte”

Por Alysson Oliveira

Publicado em 17/05/21 às 09h20

 
Ainda muito lembrada como a bruxa Morgana, do televisivo Castelo Ra-Tim-Bum, Rosi Campos, protagoniza, ao lado de Susana Vieira e Arlete Salles a comédia Amigas de Sorte, que estreia nas plataformas de streaming em 17/05. No filme, dirigido por Homero Olivetto, ela interpreta Rita, uma professora aposentada, que ganha na loteria com duas amigas de longa data, e viajam para o Uruguai em busca de diversão.
 
Rosi conta que fazer o filme foi uma diversão. “Filmamos em São Paulo, Punta del Leste e Montevidéu, durante um mês e meio. Aproveitei para conhecer as cidades uruguaias entre uma gravação e outra. Peguei o ônibus turístico e fiquei passeando. É um país muito interessante”, recorda em entrevista ao Cineweb.
 
As personagens do filme são moradoras do tradicional bairro do Bixiga, na capital paulista, onde a própria Rosi residiu por mais de 20 anos. “Eu amo aquele lugar. Só me mudei de lá porque meu marido inventou de se mudar quando eu estava no Rio gravando uma novela”, conta a atriz que agora mora na Vila Mariana, outro bairro tradicional da cidade. “Nossa casa era pertinho do Teatro Ruth Escobar. Lá vivem muitos artistas, e também muitos imigrantes. É um bairro muito solidário”.
 
Do trio de protagonistas, por morar em São Paulo, Rosi foi a que teve menos dificuldade de criar uma personagem paulistana, e, ao contrário de Susana e Arlete, nem precisou trabalhar um sotaque. Para ela, o roteiro, escrito por Lusa Silvestre, a partir de um argumento de  Fernanda Young e Alexandre Machado, era irretocável. “O texto é muito bom, já veio cheio de piadas divertidas. Ainda assim, o Homero [o diretor] nos deu muito espaço para criação.” Antes de começar as filmagens, as três atrizes passaram um tempo juntas para se preparar, criar um entrosamento, para compor o trio de amigas. “Eu já tinha trabalhado com a Arlete na televisão, e agora com a Susana, foi muito divertido. Ela é engraçadíssima, e tem muita experiência com comédia por isso sabe muito bem o que funciona.”
 
A atriz define sua personagem como uma pessoa séria – que faz uma revelação no final do filme – que busca nessa viagem ao Uruguai a possibilidade de ser livre. No país, as protagonistas se hospedam num hotel de luxo, vão a cassinos e boates, tudo a procura de uma diversão que nunca tiveram.
 
Rosi confessa que se, como as personagens, ganhasse uma fortuna na loteria, viajaria o tempo todo. “Primeiro eu iria comprar uma casa na Austrália, e me mudar para lá. Depois iria a todos os lugares do mundo que eu tenho vontade de visitar. A vida de ator é muito corrida, nem sempre a gente tem férias. Se eu ficasse rica, não trabalharia nunca mais.”















Alysson Oliveira

Outras notícias