Notícias

Abraccine divulga os vencedores de seus prêmios de 2019

Publicado em 11/02/20 às 18h21

 
A Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema anunciou hoje (11), os vencedores dos Prêmio Abraccine 2019. Num ano em que o debate político ditou o ritmo das discussões no Brasil e no mundo, três filmes que tratam de questões sociais e da luta de classes foram eleitos como os melhores do ano. Bacurau (foto), de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, e Parasita, de Bong Joon-ho, ganharam, respectivamente, os prêmios de melhor longa-metragem brasileiro e melhor longa-metragem estrangeiro do Prêmio Abraccine. Completando a lista, Sete Anos em Maio, de Affonso Uchôa, foi o escolhido da associação na categoria de melhor curta-metragem brasileiro, que engloba também os médias-metragens.
 
Durante quase um mês, a associação, formada por mais de 100 críticos de cinema de todo o país, analisou todos os filmes lançados em circuito nos cinemas brasileiros ao longo de 2019, além das principais estreias em streaming e VOD no mesmo período. Pela primeira vez desde que o Prêmio Abraccine foi criado, em 2011, a associação anuncia não apenas o vencedor, mas os dez filmes mais bem avaliados em cada um dos quesitos. Uma comissão formada por integrantes da associação ativos na cobertura e curadoria de festivais de cinema selecionou os finalistas à categoria de curta-metragem.
 
Bacurau, vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes, é o terceiro filme assinado por Kleber Mendonça Filho a vencer entre os longas brasileiros. O diretor já tinha ganho este prêmio por O Som ao Redor e Aquarius. Parasita, que venceu a Palma de Ouro em Cannes e que acaba de fazer história no Oscar, levando os prêmios de melhor filme, direção, roteiro original e filme internacional, não é apenas o primeiro longa de Bong Joon-ho premiado pela associação, como é o primeiro filme sul-coreano a vencer na categoria de longas estrangeiros. O diretor de Sete Anos em Maio, Affonso Uchôa, já havia sido premiado no ano passado pelo longa Arábia, codirigido por João Dumans.
 
Entre os longas brasileiros que formam o Top 10 da Abraccine está o documentário indicado ao Oscar, Democracia em Vertigem, e nosso representante na categoria de filme internacional da premiação da Academia de Hollywood, A Vida Invisível. A lista de estrangeiros inclui os novos trabalhos de Pedro Almodóvar e Martin Scorsese e os vencedores dos Festivais de Berlim, Synonymes, e Veneza, Coringa. Entre os curtas, destaques para vários títulos que tratam de questões sociais, femininas, de etnia e identidade de gênero.

LONGA-METRAGEM BRASILEIRO 

VENCEDOR:
Bacurau, Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles
 
COMPLETAM O TOP DEZ, EM ORDEM ALFABÉTICA:
Democracia em Vertigem, Petra Costa
Deslembro, Flávia Castro
Divino Amor, Gabriel Mascaro
Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar, Marcelo Gomes
Inferninho, Guto Parente e Pedro Diógenes
No Coração do Mundo, Gabriel Martins e Maurilio Martins
Los Silencios, Beatriz Seigner
Temporada, André Novais Oliveira
A Vida Invisível, Karim Aïnouz
 
LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO
 
VENCEDOR:
Parasita, Bong Joon-ho
 
COMPLETAM O TOP DEZ, EM ORDEM ALFABÉTICA:
Assunto de Família, Hirokazu Koreeda
Coringa, Todd Phillips
Dor e Glória, Pedro Almodóvar
Em Trânsito, Christian Petzold
Era Uma Vez em Hollywood, Quentin Tarantino
O Irlandês, Martin Scorsese
Nós, Jordan Peele
O Paraíso Deve Ser Aqui, Elia Suleiman
Synonymes, Nadav Lapid

CURTA-METRAGEM BRASILEIRO 

VENCEDOR:
Sete Anos em Maio, Affonso Uchôa
 
COMPLETAM O TOP DEZ, EM ORDEM ALFABÉTICA:
Carne, Camila Kater
Joderismo, Marcus Curvelo
A Mulher que Sou, Nathália Tereza
Negrum3, Diego Paulino
Quebramar, Cris Lyra
Swinguerra, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca
Tea for Two, Julia Katharine
Teoria sobre um Planeta Estranho, Marco Antonio Pereira
Tudo que é Apertado Rasga, Fabio Rodrigues

Outras notícias