Notícias

"A Vida Invisível de Eurídice Gusmão" conquista novo prêmio em Munique

Publicado em 06/07/19 às 12h31

Quase dois meses após vencer o Grand Prix de melhor filme na mostra Un Certain Regard de Cannes – a primeira vez que um filme brasileiro recebeu o prêmio máximo na categoria –, A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnouz, foi contemplado com o também inédito CineCoPro Award no Festival de Munique (o segundo festival de cinema mais prestigiado da Alemanha depois do de Berlim), que confere à melhor coprodução local com países estrangeiros uma bonificação no valor de 100 mil euros. 
 
Em cartaz no circuito comercial a partir do dia 31 de outubro de 2019, A Vida Invisível de Eurídice Gusmão é uma produção da brasileira RT Features em coprodução com a alemã Pola Pandora, braço de produção da The Match Factory, além da Sony Pictures Brasil, Canal Brasil e Naymar (infraestrutura audiovisual), e conta com o financiamento do fundo alemão Medienboard Berlin Brandenburg e do Fundo Setorial do Audiovisual/Ancine.
 
No longa, Karim repete a parceria com a produtora alemã – iniciada com Praia do Futuro, que participou da competição do Festival de Berlim 2014 –, numa colaboração a longo prazo que inclui um novo projeto, ainda confidencial, já em desenvolvimento.
 
“É o coroamento de uma colaboração de muitos anos com a Pola Pandora e The Match Factory, que participaram do projeto desde o desenvolvimento  do roteiro, em parceria com a RT Features. Ao mesmo tempo, é fruto da política de investimento do governo brasileiro no cinema nacional nos últimos anos. Este tipo de premiação estreita os nossos laços de colaboração com os alemães e gera uma renovação do cinema deles, além de garantir um filme com potência e vitalidade em sua carreira internacional, provando a sua universalidade”, comemora o diretor.
 
Além de Cannes e Munique, o filme esteve nas seleções oficiais dos festivais de Sydney, do Midnight Sun, na Finlândia, e de Karlovy Vary, na República Tcheca, e será exibido no Transatlantyk Festival, na Polônia, e no Festival de Cinema da Nova Zelândia. 

Outras notícias