Notícias

Cine Esquema Novo 2018 começa quinta (22) em Porto Alegre

Publicado em 20/11/18 às 11h45

Começa nesta quinta (22) e prossegue até a próxima quarta (28-11), em Porto Alegre, o Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2018, que exibirá 39 obras, escolhidas entre 875 inscritos, sendo 666 curtas e médias-metragens, 103 longas e 106 videinstalações, videoperformances e performances.
 
Serão 35 obras exibidas na Cinemateca Capitólio e quatro videoinstalações que serão expostas no Goethe-Institut Porto Alegre, co-realizadores do CEN 2018. A seleção conta com 13 projetos dirigidos por grupos, 13 realizadoras e 36 realizadores. Temáticas como feminismo, empoderamento da negritude, política atual, colonialismo, questões indígenas, pertencimento, religião, queer, entre outras, pautam os títulos selecionados de onze Estados brasileiros e nove produções assinadas por brasileiros realizadas no exterior (ou em coprodução internacional).
 
A lista integra títulos como Sol Alegria, de Tavinho Teixeira e sua filha Mariah Teixeira, uma ficção científica lo-fi, onde uma família nada tradicional corre por um país dominado por uma junta militar e pastores corruptos; Supercomplexo Metropolitano Expandido, de Guerreiro do Divino Amor, que investiga como forças ocultas e ficções de diferentes naturezas, sejam elas geográficas, sociais, midiáticas, políticas ou religiosas, interferem na construção do território e do imaginário coletivo a ideia de cidade-máquina em São Paulo; e Azougue Nazaré, de Tiago Melo, eleito o melhor filme da mostra Bright Future da 47ª edição do Festival Internacional de Cinema de Roterdã,  que incorpora elementos sobrenaturais em um retrato de uma pequena comunidade canavieira, dividida entre o maracatu e o evangelismo.
 
Destaque também para Majur, documentário de Rafael Irineu Alves Lacerda que mostra um ano na  vida de Majur, chefe de comunicação de uma aldeia no interior do Mato Grosso; O Peixe, curta-metragem documental experimental que retrata uma vila de pescadores que tem o ritual de abraçar os peixes ao pescá-los; além de Terremoto Santo, de Bárbara Wagner & Benjamin de Burca, um curta musical com jovens cantores da cena da música evangélica da cidade de Palmares em Pernambuco.
 
O festival apresentará também a performance “Título Provisório Para Obras de Formação Indeterminada”, de Marcelo Birck. Realizada em tempo real, exibe animações feitas à mão em super-8, antigas lâminas de lanterna mágica, e slides encontrados com som gerado a partir de um processo similar à montagem do cinema, transposto para outro material: vinis cortados a laser e recolados.
 
Filmes gaúchos
 
Entre os realizadores gaúchos, destacam-se Tinta Bruta, de Marcio Reolon e Filipe Matzembacher, premiado com o Teddy no 68º Festival Internacional de Cinema de Berlim, Música para quando as luzes se apagam, de Ismael Canepppelle e Cidades dos Piratas, de Otto Guerra.
 
A Mostra Competitiva premiará ao final do evento o Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2018 e cinco Prêmios Especiais do Júri (o Júri Oficial poderá outorgar até cinco prêmios, de forma livre, dentre todas as obras em competição).
 
Com financiamento do edital de apoio a festivais e mostras do Ministério da Cultura / Secretaria do Audiovisual, o Cine Esquema Novo 2018 ocorrerá na Cinemateca Capitólio e Goethe-Institut Porto Alegre, contemplando além da Competitiva Brasil outros programas especiais a serem anunciados nos próximos meses. O CEN é uma realização da ACENDI – Associação Cine Esquema Novo de Desenvolvimento da Imagem, em co-realização com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre através da Cinemateca Capitolio e Goethe-Institut Porto Alegre e apoio Prime Box Brazil e Unisinos FM. Mais informações,
acesse:www.cineesquemanovo.org | www.facebook.com/cineesquemanovocen | @cineesquemanovo
 
MOSTRA COMPETITIVA BRASIL – CEN 2018 - SELECIONADOS
26 postais contam a história de uma amizade de 30 anos, Frederico Benevides  
A Casa, Camila Leichter (realizadora); Mauro Bomfim Espíndola e Ali Khodr (co-realizadores)     
A Chinesa de Riad, Leonardo Amaral & Roberto Cotta   
A Cidade dos Piratas, Otto Guerra         
À cura do rio, Mariana Fagundes           
Apenas um gesto ainda nos separa do Caos, Yuri Firmeza         
Azougue Nazaré, Tiago Melo    
B.U.N.I.T.A.S. [ce], Estela Lapponi        
BLANK Damour, Ali Khodr, Camila Leichter e Mauro Bomfim Espíndola  
Bye Bye Deutschland, Bárbara Wagner & Benjamin de Burca     
El Meraya, Distruktur    
Entre Parentes, Tiago de Aragão           
Era uma vez Brasília, Adirley Queirós    
Estamos Todos Aqui, Chico Santos e Rafael Mellim       
Frequências, Adalberto Oliveira 
Galinhas no Porto, Caioz e Luís Henrique Leal   
Heart of Hunger, Bernardo Zanotta        
Ilhas ressonantes, Juruna Mallon          
IMO, Bruna Schelb Correa        
Inconfissões, Ana Galizia          
Inferninho, Guto Parente e Pedro Diógenes       
Latossolo, Michel Santos          
Majur, Rafael Irineu Alves Lacerda        
Música para quando as luzes se apagam, Ismael Caneppele      
Nome de Batismo-Alice, Tila Chitunda   
Num País Estrangeiro, Karen Akerman & Miguel Seabra Lopes  
O Peixe, Jonathas de Andrade  
Os Sonâmbulos, Tiago Mata Machado  
Princesa Morta do Jacuí, Marcela Ilha Bordin     
profanAÇÃO, Estela Lapponi     
Sem título (5), Luciano Scherer e Maíra Flores   
Silêncios, Caio Casagrande      
Sobrado, Renato Sircilli
Sol Alegria, Tavinho Teixeira e Mariah Teixeira  
Sr. Raposo, Daniel Nolasco      
Supercomplexo Metropolitano Expandido, Guerreiro do Divino Amor       
Terremoto Santo, Bárbara Wagner & Benjamin de Burca
Tinta Bruta, Marcio Reolon e Filipe Matzembacher         
Título Provisório Para Obras de Formação Indeterminada, Marcelo Birck

Outras notícias