Notícias

Ciclo "Henry James no cinema" começa no Rio dia 31 de agosto

Publicado em 22/08/18 às 12h07

Começa na próxima semana, no Rio, o ciclo de debates “Henry James no Cinema”, promovido pela Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ), sobre a obra do escritor-norte americano (1843-1916), a partir da exibição de filmes baseados em seus contos e romances. A atração do primeiro encontro, no dia 31 de agosto, às 19h, será o longa britânico Os Inocentes (1961), de Jack Clayton. Trata-se de uma adaptação do conto A Volta do Parafuso, de 1897, o mais popular de James. A programação faz parte do projeto Psicanálise & Cinema, coordenado pelo psicanalista Luiz Fernando Gallego, da SBPRJ. O debatedor convidado para o primeiro encontro é Guilherme Gutman, psicanalista, professor adjunto de Psicologia na PUC-Rio e na EAV-Parque Lage, autor do livro William James e Henry James: filosofia, literatura e vida.
 
Com roteiro de William Archibald, Truman Capote e John Mortimer, Os Inocentes é um horror psicológico sobre uma mulher, a senhorita Giddens (Deborah Kerr), que trabalha como governanta de dois órfãos na Inglaterra, os irmãos Flora (Pamela Franklin) e Miles (Martin Stephens), durante a era vitoriana. Eles moram afastados de um tio que não quer cuidar de crianças em uma casa antiga no campo, onde são entregues aos cuidados da senhorita Giddens, que ganha total liberdade na criação dos meninos. Mas Giddens começa a temer que as crianças possam estar possuídas por espíritos maléficos que habitavam a residência e que lhe cabe salvá-los e vencer os espíritos que rondam o local.
 
Os inocentes foi indicado a Melhor Filme Inglês e a Melhor Filme do Ano no Bafta 1962, selecionado para a mostra competitiva oficial do Festival de Cannes 1962 e premiado como Melhor Direção e como um dos dez melhores filmes do ano no National Board of Review 1962.
 
A apresentação do filme tem classificação etária de 16 anos e duração de 1h40. A entrada é gratuita para a exibição. Será cobrada uma taxa de manutenção de R$ 20,00 para quem quiser ficar para a palestra seguida de debate. As inscrições e reservas devem ser feitas previamente pelo e-mail sbprj@sbprj.org.br ou telefones (21) 2537-1333 e 2537-1115. A reserva é válida até 10 minutos antes do início da sessão. A SBPRJ fica na Rua David Campista, 80, no bairro Humaitá, Rio de Janeiro.
 
Precursor de Freud?

O crítico de teatro português Manuel José Gomes (1948-2007) afirmou considerar Henry James um dos precursores da literatura moderna, antecipando Marcel Proust, Virginia Woolf e William Faulkner, e também um precursor de Freud. Em uma introdução a uma coletânea de suas histórias sobrenaturais, Gomes diz que, nestes contos em que aparecem espectros e fantasmas, o espectro é, por vezes, uma forma de “representação” da mente, antecipando assim o “fantasma” psicanalítico.  
 
“Tal sobrenatural é um recurso de que o narrador lança mão para as análises psicológicas, patológicas e ético-filosóficas que constituem seus textos. Fenômenos de vidência ou de transmissão de pensamento são menos parte da narrativa do que o drama existente entre personagens em crise, servindo tais fenômenos para basear a análise profunda de psiquismos atormentados pela morte ou por paixões proibidas”, diz Manuel José Gomes.

Outras notícias