Notícias

Filme chileno premiado em Berlim abre o 27o. Cine Ceará

Publicado em 04/08/17 às 22h08

Começa neste sábado (5), em Fortaleza, a 27ª edição do Cine Ceará - Festival Ibero americano de cinema, com a exibição do longa premiado em Berlim Uma Mulher Fantástica, de Sebástian Lelio, e do curta-metragem A luz da mata, realizado pelos alunos do projeto Enel Compartilha Animação, em oficina conduzida pelo cineasta Telmo Carvalho, a partir das 19h30, no Cineteatro São Luiz. A montadora do filme de Lelio, Soledad Salfate, estará presente na sessão.
 
Já na Praça do Ferreira, às 20h, começa o projeto Cinema na Praça onde serão exibidos curtas em um telão todas as noites, especialmente para a população em situação de rua e para o público em geral.
 
Filme de Abertura
Uma mulher fantástica, de Sebastián Lelio, mostra a história de Marina (Daniela Vega), uma garçonete transexual que sonha em ser uma cantora de sucesso, e, para isso, canta durante a noite em diversos clubes da cidade. Porém, após a morte de seu namorado, sua vida passa por uma grande transformação. O filme foi premiado com o Urso de Prata de roteiro e o Prêmio Teddy no Festival de Berlim.
 
Dentre os destaques na Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem estão dois filmes brasileiros que fazem sua première mundial no festival cearense: Malasartes e o Duelo com a Morte, de Paulo Morelli, com Jesuíta Barbosa, Isis Valverde, Julio Andrade, Leandro Hassum e Vera Holtz no elenco; e Pedro sob a cama , de Paulo Pons (Vingança), com Letícia Sabatella e Fernando Alves Pinto.
 
Também estão na disputa cinco longas que serão exibidos no Brasil pela primeira vez: Santa e Andrés (Cuba/França), de Carlos Lechuga, que venceu 11 prêmios em festivais, incluindo melhor filme, atriz (Lola Amores) e roteiro no Festival de Guadalajara, no México, e o XI Prêmio Julio Alejandro de Roteiro, no SGAE; o chileno Uma mulher fantástica, de Sebastián Lelio (Glória), que conquistou o Urso de Prata de roteiro e o Prêmio Teddy no Festival de Berlim; o argentino Ninguém está olhando, de Julia Solomonoff, que venceu o prêmio de melhor ator (Guillermo Pfening) no Festival de Tribeca, em Nova York,  O homem que cuida (República Dominicana/Porto Rico/Brasil), de Alejandro Andújar, que participou do Festival de Roterdã, e Últimos dias em Havana (Cuba/Espanha), de Fernando Pérez, um dos grandes destaques da Berlinale deste ano e premiado melhor filme latino-americano no Festival de Málaga.
 
Dentre os curtas brasileiros, destaque para Vênus – Filó a fadinha Lésbica, de Sávio Leite, exibido na mostra Panorama do Festival de Berlim, na Alemanha; Mehr Licht!, de Mariana Kaufman e Valentina, de Estevão Meneguzzo, exibidos no Festival de Edimburgo, na Escócia. Além de cinco curtas cearenses: A Balada do Sr. Watson, Caleidoscópio, Do Que Se Faz De Conta, Memórias do subsolo ou o homem que cavou até encontrar uma redoma e Vando Vulgo Vedita.

Neusa Barbosa


Outras notícias