Doidas Demais

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

23/01/2003

Onde um roqueiro vai, um bando de groupies vai atrás. Essa particular personagem, afamada a partir do final dos anos 60, é muito mais que uma fã, é uma garota movida pelo desejo sexual nutrido por músicos complicados e carentes que vivem na estrada. Apesar de coadjuvantes no lema sexo, drogas e rock´n´roll, algumas groupies acabaram quase tão famosas quanto seu ídolos.

É o caso de Babe Buel, cuja lista de conquistas incluiu mitos como Iggy Pop, David Bowie, Mick Jagger, Jimmy Page e Steven Tyler, com quem teve Liv Tyler. Cynthia Plaster Caster também emplacou seu nome ao colecionar em gesso a réplica do pênis dos músicos com quem dormia. Entretanto, a mais conhecida talvez seja Nancy Spungen, primeira e única namorada do baixista dos Sex Pistols, Sid Vicious, encontrada morta no quarto de um hotel em Nova York. Vicious foi preso como principal suspeito e a história foi para as telonas pelas hábeis mãos de Alex Cox, no filme Sid & Nancy (1986), onde Gary Oldman interpretava o papel principal. No Brasil, a apresentadora Luciana Gimenez pode se gabar de ter conquistado o líder dos Rolling Stones, de quem extrai uma pensão milionária, após o nascimento do filho do casal.

Se algumas groupies alcançaram a tão sonhada fama, à grande maioria só restaram recordações. E quando a beleza já não atrai mais músicos, o que fazer da vida? Doidas Demais, filme de estréia como diretor de Bob Dolman, traça dois caminhos para amigas groupies que, assim como Cynthia Plaster Caster, também tinham sua coleção, mas de fotos dos membros dos membros das bandas de rock.

Suzette (Goldie Hawn) continua fascinada pelo mundo do rock, mas acaba de perder o emprego num bar onde os clientes a quem serve são jovens. Sem dinheiro, ela cai na estrada à procura da amiga Vinnie, inseparável companheira no final dos anos 60. No caminho para Phoenix, ela conhece Harry (muito bem interpretado por Geoffrey Rush) que, para não continuar a viagem de ônibus, paga a gasolina de Suzette em troca de carona. Ele é um escritor frustrado e neurótico que programa sua vida nos mínimos detalhes.

Chegando lá, Suzette encontra Vinnie completamente diferente. Agora atende pelo nome completo, Lavinia (Susan Sarandon), é casada com um importante advogado e mãe controladora de duas meninas, Hannah (Erika Christensen) e Ginger (Eva Amurri, filha de Sarandon com quem trabalhou no filme de Tim Robbins, Bob Roberts). O problema é que Lavinia, pensando numa eventual carreira política para o marido, Raymond (Robin Thomas), faz questão de esconder o passado e a chegada de Suzette, com suas tatuagens e seu jeito ousado, pode pulverizar a imagem de mulher séria e respeitada.

Muito dessa simpática comédia é mérito do entrosamento entre as veteranas Susan Sarandon e Goldie Hawn, mãe de Kate Hudson que viveu a groupie Penny Lane em Quase Famosos. A trilha sonora, com exceção de The Red Road, de Chris Robinson, da banda Black Crowes, reúne hits da época, como a ótima Burning Down the House, do Talking Heads, The Morning Dew, de Robert Plant, The Crystal Ship, do The Doors, e Rock Me, Steppenwolf.

Cineweb-24/1/2003

Luara Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança