Driblando o Destino

Ficha técnica

  • Nome: Driblando o Destino
  • Nome Original: Bend it like Beckham
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Inglaterra
  • Ano de produção: 2002
  • Gênero: Policial, Comédia
  • Duração: 121 min
  • Classificação: Livre
  • Direção:
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

30/10/2003

Se nos policiarmos a seguir condutas mais politicamente corretas, rir em comédias étnicas pode parecer um pouco estranho. No entanto, sucessos como Casamento Grego mostram que pensar dessa forma é um absurdo tão grande quanto não encontrar nada divertido em nossa própria cultura. Principalmente quando se tratam de devaneios familiares ou um olhar obsessivo sobre seu comportamento.

Assim, não há nada que desqualifique o filme da diretora Gurinder Chadha. Ao lançar um olhar hilário sobre as culturas indiana e inglesa, a cineasta dá ao espectador uma riqueza cômica ao roteiro, que ajudou a escrever, bastante leve. Afinal, o filme é voltado para o público adolescente, prioritariamente feminino, e por isso, piadas muito complexas, ou mesmo provocativas relativas à colonização, não chamariam muito a atenção.

E Driblando o Destino ainda possui um trunfo frente às outras comédias do gênero. Em vez de se limitar a parodiar (respeitosamente, diga-se) os costumes e idiossincrasias de um povo, a produção inclui uma trama esportiva (nada original, mas bem trabalhada), o que a diferencia de produções como Casamento Grego, evitando ser apenas um caldeirão de caricaturas. Seria imprudente dizer que eles não existem na obra de Gurinder, mas a combinação de argumentos deixa tudo mais dinâmico e variado.

Em meio a essa miscelânea de temas, encontramos a protagonista Jess Bhamra (Parminder Nagra), filha de imigrantes indianos e dona de um talento indiscutível para o futebol. Todo os seus problemas se centram nas tradições seguidas por sua família, que a proíbe de mostrar as pernas e a obriga a aprender a cozinhar e escolher um marido da mesma cultura. Tudo isso junto impede sua completa dedicação ao esporte, até o aparecimento da bela Juliette (Keira Knightley), que a convida a participar de um time feminino.

É nesse momento que as história se juntam. Por um lado temos o problema de Jess. Ao mesmo tempo temos o de Juliette, que não apenas sofre com a rejeição amorosa do treinador da equipe, como também tem de aturar as maluquices de sua mãe (Juliet Stevenson), que faz de tudo para a filha ser mais feminina. No centro está o treinador, interpretado por Jonathan Rhys-Meyers, que entra em um triângulo amoroso com suas atletas e tem seus próprios problemas familiares.

Essas sub-tramas recheiam toda a história, fazendo de Driblando o Destino um eficiente filme juvenil, que combina com êxito fórmulas já bem estabelecidas (comédia romântica, conflito desportivo e comédia de costumes). Some-se a isso que a produção está povoada de personagens agradáveis e realmente verossímeis, cuja atmosfera não apenas é bem criada por Gurinder, mas composta por excelentes performances de Parminder K. Nagra e Keira Knightley, perfeitas em seus papéis.

Há um detalhe que só aqueles que acompanham partidas de futebol poderão entender. A começar pelo título do filme, original em inglês: Bend It Like Beckham. Para quem não sabe, trata-se do nome que se deu a uma jogada de campo da estrela britânica de futebol, David Beckham. A jogada em questão também é feita por Jess em um dos jogos que participa, numa homenagem ao atleta, paixão da protagonista. No entanto, para as meninas mais empolgadas, uma decepção: o bonitão, que aparece em apenas uma cena do filme, está muito bem acompanhado, obrigado, por sua mulher.

Rodrigo Zavala


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança