Amnésia [2008]

Ficha técnica

  • Nome: Amnésia [2008]
  • Nome Original: Memento
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2001
  • Gênero: Ação
  • Duração: 113 min
  • Classificação: 16 anos
  • Direção:
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

29/04/2003

É comum as pessoas esquecerem-se, em questão de minutos, de coisas que estavam prestes a fazer. A sensação, conhecida e ocasional para a maioria dos mortais, atormenta insistentemente Leonard Shelby (Guy Pearce) a cada dez minutos. O estranho desmemoriado é o protagonista de Amnésia, de Christopher Nolan, um dos mais engenhosos lançamentos dos últimos tempos. A singularidade da fita provém de uma história absolutamente incomum, inspirada pelo irmão do diretor, o escritor Jonathan Nolan, e de um roteiro complexo e fragmentado que obriga o espectador a prestar atenção aos mínimos detalhes.

O diretor optou por uma edição sofisticada que, em tempos de vinil, nos faria girar o disco ao contrário para compreender o todo ou, ao menos, algumas daquelas bombásticas lendas sobre mensagens subliminares do tipo "satanás vive", no refrão de "Não se Reprima", dos Menudos (por falar nisso, quem ainda se lembra deles?), ou "Paul está morto", no final de "I'm so Tired", do Álbum Branco dos Beatles (difícil esquecer).

No filme, Leonard parece ter sobrevivido ao ataque de um homem que tirou a vida de sua mulher e também sua capacidade de armazenar lembranças recentes. Ele consegue detalhar tudo o que aconteceu antes do acidente, mas é incapaz de dizer o que comeu no almoço. Sem noção de tempo, Leonard tem uma única motivação na vida: encontrar o assassino e vingar a morte da esposa.

Para se organizar, ele endereça recados a si mesmo e fotografa, com uma máquina Polaroid, lugares e pessoas, escrevendo observações do tipo: "meu carro" ou "não acredite nas mentiras dele". Sem outra maneira de saber o que já descobriu sobre o assassino, Leonard espalha por seu próprio corpo tatuagens contendo as pistas que vai descobrindo.

O filme começa com um flash de câmera, que revela um homem assassinado com um tiro na cabeça. Então, o filme é rebobinado, com a bala retornando para dentro da arma e o homem, antes morto, se recompõe. A partir daí, o Amnésia adota um padrão de narrativa curioso. Como em um quebra-cabeça, a fita apresenta uma dada seqüência e, imediatamente depois, narra os momentos que precederam os acontecimentos.

Assim, o espectador sabe tanto sobre toda a história quanto seu personagem principal, e tem de juntar esses pequenos cacos para sair de uma inevitável confusão mental. As perguntas vão sendo respondidas em doses homeopáticas e, dessa maneira, o público compartilha o esforço de Leonard para interpretar pedaços aleatórios de sua vida. Mas nem tudo é tão complicado assim e o instigante exercício de interpretação é, por caridade de Nolan, facilitado por imagens em preto e branco que diferenciam as memórias do protagonista.

Destaque para a interpretação de Guy Pearce que, para quem não se lembra, viveu uma drag-queen no divertido Priscila - A Rainha do Deserto. O site oficial de Amnésia também não foge ao espírito criativo do filme, cujo endereço é www.otnemem.com. A indecifrável palavra otnemem, lida de trás para frente, se transforma em memento, nome original da fita, que vem do latim, cujo significado é lembra-te.

No meio dessa confusão toda que é Amnésia, aliados, inimigos e vítimas trocam de lugar o tempo todo e, mergulhado no terreno psicológico, o filme se finca na memória como elemento fundamental à existência humana. A fita ainda alfineta que, sem ela, o homem só conta com seus instintos, o que é muito pouco numa sociedade predatória como a nossa. E além do mais...sobre o que eu estava falando mesmo?

Luara Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança