Expresso do Amanhã - ep. 7 a 10

Ficha técnica


País


Sinopse

Resgatado das Gavetas, Layton volta a organizar a revolta a bordo do Snowpiercer - onde o clima de conspiração cresce quando transpiram revelações sobre Melanie.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

21/07/2020

ATENÇÃO, DAQUI PARA A FRENTE, SÓ TEM SPOILERS. QUEM NÃO ASSISTIU À SÉRIE, MELHOR LER SOMENTE DEPOIS DE VER!
 
Clique aqui sobre os episódios de 1 a 3 
Clique aqui sobre os episódios de 4 a 6 
 
 
Ninguém duvidava que o herói Layton (Daveed Diggs) ficaria fora de combate nas Gavetas muito tempo. Com a ajuda dos seus, ele volta para retomar a liderança da revolta no trem - enquanto Melanie (Jennifer Connelly) tomou Miles (Jaylin Fletcher) como uma espécie de refém de luxo na ponta do Snowpiercer, onde fica o comando.
Um encontro romântico com Josie (Katie McGuinness) é tudo de bom para Layton, mas isso não vai durar muito. Uma traição custa a vida dela - um sacrifício corajoso na série. Além do mais, o clima a bordo é de conspiração generalizada. Na Primeira, os ricos Folger querem puxar o tapete de Melanie, contando com o brutamontes Nolan (Timothy V. Murphy) para cooptar a até agora fidelíssima Ruth (Alison Wright). 
 
Mas as alianças estão mudando. Antes de morrer, Josie teve tempo de fazer a guarda Bess Till (Mickey Sumner) mudar de lado, uma importante adesão à facção rebelde, ainda que coloque em risco seu romance com Jinju (Susan Park) - de posição ambígua até aqui (ou ela é apenas pragmática?). Layton encontra LJ (Annalise Basso), que desconfia que Wilford não mais existe, mas é o tipo de aliada traiçoeira - quem sabe o que essa maluquinha retalhadora de corpos pode querer?
 
No episódio 8, LJ comprova por si mesma que não há mais Wilford depois de entrar no centro de comando com a cumplicidade de Miles. Depois disso, não tem mais jeito - a casa vai cair para Melanie quando LJ conta seu segredo para todo mundo. É o início da esperada rebelião geral a bordo do trem. Layton vai com Bess buscar a turma do Fundão e um verdadeiro massacre se desenrola, com todas as armas possíveis - lembrando uma sangrenta guerra medieval só que em ambiente fechado, claustrofóbico. A toda-poderosa Melanie virou prisioneira e está condenada à morte, mas ninguém acredita que uma personagem tão importante vá desaparecer assim. Ela é salva no último minuto por Javi (Roberto Urbina) e se torna uma aliada de ocasião, embora a contragosto, dos rebeldes. É uma decisão inevitável, até por tudo o que ela conhece sobre o funcionamento do trem.
 
A ideia dela é jogar fora a odiada Primeira Classe, desacoplando vários vagões - mas isto custa o sacrifício de alguns prisioneiros caros a Layton, num lance em que o maquiavelismo de Melanie aparece com toda força.
Mas Layton não tem tempo de ficar lamentando. Ele foi apontado como líder geral e tenta instaurar uma nova ordem nos 994 vagões que restaram, tarefa complicada já que o caos impera de ponta a ponta. Também ficamos sabendo mais sobre o grande trauma de Melanie - a morte de sua filha (uma história que ainda terá desdobramentos). E o episódio 10 termina com grandes emoções, causadas por uma reviravolta - há outro trem nos trilhos perseguindo o Snowpiercer, até detê-lo e atracar nele. Será Wilford? 
 
Resumo da ópera: chegando ao final, a primeira temporada da série entregou muita adrenalina, sacrificou pelo menos uma personagem de primeira linha (Josie) e criou ambiguidade suficiente para manter o interesse no duelo entre seus dois protagonistas, Layton e Melanie. Agora, é esperar a próxima.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança