Martin Eden

Ficha técnica


País


Sinopse

Martin Eden é um jovem e livre trabalhador de Nápoles. Um dia, salva de uma briga o jovem burguês Arturo. Muito grato, Arturo o leva para sua casa. Nesse ambiente rico e cheio de cultura, Martin descobre a literatura e decide tornar-se escritor, além de apaixonar-se pela irmã de Arturo, Elena.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

21/02/2020

Vencedor do prêmio de melhor ator no Festival de Veneza 2019 para Luca Marinelli, o drama Martin Eden, de Pietro Marcello, adapta o livro homônimo do escritor norte-americano Jack London, transpondo o cenário da ação de San Francisco para Nápoles. 
 
Se o período no livro original limitava-se ao final do século 19 e princípio do 20, no filme a história transita entre vários períodos do século 20, numa imprecisão que sinaliza a grande mobilidade de seu personagem central entre suas questões existenciais. Martin é um trabalhador, que vive com a irmã Giulia (Autilia Ranieri) e o cunhado Bernardo (Marco Leonardi). Um dia, salva de uma briga o jovem Arturo Orsini (Giustiniano Alpi) e é convidado à sua casa. Trata-se de uma família burguesa, rica e culta, a cujo fascínio Martin acaba por sucumbir - especialmente à literatura e à jovem Elena (Jessica Cressy), irmã de Arturo, que lhe empresta livros e o estimula a completar sua educação.
 
Dois sonhos se sobrepõem na mente do jovem operário - tornar-se escritor e ganhar o coração de Elena, duas empreitadas para as quais sua modesta condição social não parecem permitir muitas esperanças. Martin é determinado, no entanto. Talvez ingênuo também para perceber todas as nuances das estruturas sociais que, naquele momento, vinham sendo contestadas por movimentos sindicais e socialistas, que Martin frequenta, mas não conseguem absorvê-lo - Martin é, por excelência, a afirmação de um individualismo romântico, idealista, sua principal força e fragilidade.
 
O filme é dividido em dois momentos: aquele em que Martin luta desesperadamente para escrever, tendo que trabalhar em ocupações braçais para sobreviver; e uma outra época de sua vida, após a publicação de um livro, O Apóstata. Entre uma fase e outra, os sentimentos e paixões mudam radicalmente - e este é, afinal, o grande tema do filme, cujo roteiro foi adaptado do livro pelo próprio diretor, Pietro Marcello, em parceria com Maurizio Braucci.
 
Considerado um romance semi-autobiográfico de Jack London, Martin Eden fornece material para um denso estudo de personagem, acumulando camadas que permitem explorar temas como a luta de classes e os mecanismos da cultura de massa. Oferecendo amparo ao percurso do personagem entre diversas épocas, o filme se vale de muito material de arquivo, como um filmete visto no começo, retratando o anarquista italiano Errico Malatesta em Savoia, em 1920. Estes materiais fortalecem a reflexão em torno do quanto Martin é um homem sacudido também pelos turbilhões de sua época, ainda que suas emoções pareçam estar sempre em primeiro plano. 
 
Publicado em 1909, Martin Eden é um dos romances mais complexos de Jack London, oferecendo-se a releituras como esta, num deslocamento à Itália, mas mantendo ligação com  a maneira como enfoca um indivíduo desprovido de privilégios de origem social, mas dono de uma vontade indomável, ainda que corra tantas vezes o risco da autodestruição. 

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança