Os Cem Passos

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

17/12/2002

O prestigiado diretor Marco Tullio Giordana filma a crônica de uma morte anunciada em Os Cem Passos, a história verídica de um jovem radialista siciliano assassinado pela Máfia por causa de suas críticas virulentas ao grupo criminoso. Detalhe: a família do rapaz é ligada ao chefão mafioso, que controla o crime organizado na pequena cidade de Cinisi.

O jovem Peppino Impastato (Luigi Lo Cascio), muito afeiçoado ao avô, que na sua infância foi assassinado pela Máfia, passa a mover uma forte campanha contra o grupo. Ele sabe que toda sua família deve obediência ao chefão Tano Badalamenti (Tony Sperandeo), responsável pela morte do avô. Todas as pedras da cidade também o sabem.

Peppino, para desespero do pai, Luigi (Luigi Maria Burruano), coloca a estabilidade da família em perigo com seu comportamento. Filiado ao Partido Comunista, passa a escrever panfletos e organizar manifestações contra os parentes mafiosos. Estamos nos turbulentos anos 60 e a militância política de Peppino também é influenciada pelo movimento hippie e pelos papas da contra-cultura. Política, sexo e rebeldia são o combustível prestes a incendiar o pequeno vilarejo.

A campanha sistemática de Peppino incomoda Tano e sua resposta não tarda. Aproveitando o período turbulento por que passa a Itália, com o surgimento das Brigadas Vermelhas e o assasinato do primeiro-ministro Aldo Moro, Tano encontra uma oportunidade de vingança.

Vencedor do prêmio de melhor roteiro no Festival de Veneza de 2000, o filme foi um sucesso de bilheteria na Itália e serviu para alimentar as sempre oportunas discussões sobre o poder do crime organizado no país. Mesmo não tendo a profundidade de seu trabalho anterior, o documentário Pasolini, um Delito Italiano, o novo filme de Giordana deve ser saudado como uma importante obra do cinema político italiano, que fez escola no passado com diretores como Pasolini, Bernardo Bertollucci, Francesco Rosi e outros poucos. Esse vigor é bem vindo ao novo cinema italiano tão carente de bons trabalhos nos últimos anos.

Cineweb-13/12/2002

Luiz Vita


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança