Dilili em Paris

Ficha técnica

  • Nome: Dilili em Paris
  • Nome Original: Dilili à Paris
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: França
  • Ano de produção: 2018
  • Gênero: Drama, Animação
  • Duração: 95 min
  • Classificação: 10 anos
  • Direção: Michel Ocelot
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Na Paris do início do século XX, uma garotinha da Nova Caledônia, Dilili, vive grandes aventuras, ao lado do amigo, o adolescente Orel. Entregador de mercadorias em seu triciclo, ele a fará descobrir as maravilhas da capital francesa. Juntos, eles vão desvendar uma trama policial envolvendo sequestros de meninas, no que terão ajuda de artistas e cientistas famosos.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

22/01/2020

Paris, durante a Belle Époque, era uma usina de energia criativa. Não só por seus habitantes locais, artistas, pensadores e cientistas, como por estrangeiros de todas as partes do mundo que ali encontravam acolhida e expressão. Esse pressuposto de tolerância e acolhimento é o ponto de partida da história de Dilili em Paris, o novo filme do veterano da animação francês Michel Ocelot, estrelado por uma menininha negra da Nova Caledônia que se apropria do melhor da cultura francesa injetando sua própria curiosidade e energia.
 
Essa garotinha empoderada junta suas forças com um adolescente francês, Orel, vindo da classe trabalhadora - ele é entregador de mercadorias, uma espécie de precursor do motoboy, percorrendo os melhores endereços e cenários de Paris no seu descolado triciclo.
 
Acompanhado por Dilili, Orel descortina uma Paris idílica, composta a partir de fotografias de locais emblemáticos, da torre Eiffel às escadarias de Montmartre e ao cabaré Moulin Rouge, que fornecem uma paisagem realista para acolher uma profusão de personagens famosos e tridimensionais - esta a façanha técnica da produção.
 
A imensa galeria de célebres habitantes de Paris naquele começo de século XX é um dos inegáveis atrativos desta animação, que chega com um pequeno atraso ao Brasil - é de 2018, sendo vencedora do César, principal prêmio francês, em 2019 na categoria animação. 
 
Movidos não só pela invencível curiosidade de Dilili como pela necessidade de encontrar aliados para o enfrentamento de uma temível gangue de sequestradores de meninas, os Mestres do Mal, a dupla trava contato com o cientista Louis Pasteur, pintores como Pablo Picasso, Toulouse Lautrec e Jean Renoir, a cantora de ópera Emma Calvé e a atriz Sarah Bernardt, entre muitos outros (até os irmãos Lumière, inventores do cinema, são vistos de passagem).
 
O aviador brasileiro Alberto Santos Dumont tem uma participação decisiva na trama, contribuindo com um dirigível para o resgate das meninas. Houve um pequeno descuido, no entanto, na escolha da únicas expressões em português, pronunciadas por Santos Dumont e ouvidas na versão legendada. Por duas vezes, ele diz expressões na verdade lusitanas (“pequerrucha” e “presentinho do céu”) para referir-se a uma criança. Brasileira mesmo só a outra expressão dita por ele, “docinho de coco”. 
 
Para não dizer que não falou de racismo, Ocelot cria um personagem, Lebeuf, motorista da cantora Emma Calvé, que encarna esse aspecto - não sem ter uma oportunidade de redenção. No mais, o filme trabalha num registro de integração de povos e culturas, destacando o empoderamento feminino. Sem a menor vocação para donzela em perigo, é Dilili quem toma a iniciativa de combater a gangue sequestradora - que afinal tem uma pauta profundamente machista -, ajudada pelo trio Emma Calvé, Sarah Bernardt e Louise Michel, professora e ativista anarquista que foi responsável pela refinada educação da pequena protagonista. 
 
Sob a aparência de uma fábula, na verdade, de olho em plateias de todas as idades - Ocelot, como sempre, não visa particularmente crianças muito pequenas -, o diretor parece querer, também, um diálogo com o conturbado tempo presente, fazendo uma defesa sutil mas inequívoca da cultura e da civilização contra a barbárie do obscurantismo.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança