As rainhas da torcida

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Aposentada e sem filhos, Martha decide mudar-se para um condomínio de idosos. Lá, todo mundo pertence a um clube. Então, ela resolve recuperar seu sonho de adolescente, montando um clube de animadoras de torcida, junto com a vizinha, Sheryl, e encarando a incompreensão geral.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

15/07/2019

É sempre bom ver uma comédia estrelada por pessoas mais velhas em busca de viver seus sonhos. É isso o que acontece em As rainhas da torcida, estreia na ficção da diretora Zara Hayes, que tem aliadas importantes nas atrizes veteranas que compõem seu elenco - caso de Diane Keaton Jacki Weaver, Rhea Perlman e Pam Grier.
 
No entanto, é de lamentar que o filme tenha tão pouca ambição para construir sua história, ambientada no cenário uma comunidade de aposentados no estado americano da Geórgia. Foi ali que a ex-professora Martha (Diane Keaton) decidiu passar seus últimos anos de vida. Ela tem câncer e resolveu jogar a quimioterapia para o alto. O que não esperava é que uma vizinha um tanto abelhuda, Sheryl (Jacki Weaver), a sacudisse dessa depressão, tornando-se o caminho para a realização de um sonho de adolescência.
 
Garota, Martha sempre sonhou fazer parte das performáticas equipes de animadoras de torcida da escola. Até treinou muito para isso, mas diversas circunstâncias a impediram. Na terceira idade, ela se dá uma nova chance. Ao lado de Sheryl, decide que é hora de formar um clube de rainhas de torcida.
 
O projeto parece absurdo, devido à faixa etária das candidatas, mas o entusiasmo compensa. As lado de Olive (Pam Grier), Helen (Phyllis Pomerville), Alice (Rhea Perlman), Ruby (Carol Sutton) e Phyllis (Patricia French), as duas encaram o ceticismo da caretona administradora da residência de idosos, Vicki (Celia Weston), e começam a treinar a sério.
 
Para a história engatar, surgem os habituais obstáculos no caminho das senhoras, que sofrem verdadeiro bullying de uma turminha de jovens rainhas da torcida bem antipáticas. Incidentes envolvendo exposição nas redes sociais e uma volta por cima estão adiante, no roteiro comportadinho assinado por Shane Atkinson.

É sempre um prazer assistir a um elenco tão capacitado atuando junto. Por isso mesmo, é de lamentar que tenha havido tão pouca ambição de escrever um roteiro que fosse realmente mais longe na aventura das mulheres, tidas como velhinhas e nada dispostas a render-se aos preconceitos. Por essa timidez, o filme já nasce com vocação para uma Sessão da Tarde daquelas bem esquecíveis. 

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança