Jornada da vida

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Seydou Tall é um famoso ator franco-senegalês que, numa viagem de trabalho ao Senega,l faz amizade com um garoto que é seu fã. Com receio de deixar o menino fazer uma longa viagem de volta à sua aldeia, o astro resolve acompanhá-lo. Nessa jornada, reencontra suas raízes.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

03/07/2019

Há obviamente um interesse muito pessoal para o ator francês Omar Sy no filme Jornada da vida, do qual também é produtor. Filho de um senegalês e uma mauritana, ele interpreta um ator de origens senegalesas que reencontra seu país e sua cultura numa viagem para divulgar um livro, e acaba se conectando com um garoto que o ajuda em sua jornada.
 
Dirigido por Philippe Godeau, a partir de um roteiro escrito por ele e Agnès de Sacy, o filme pode ser acusado de qualquer coisa, menos de trazer um “branco salvador”, como é o caso do recentemente oscarizado Green Book: O Guia. Este é certamente um filme sobre um afro-francês redescobrindo e compreendendo melhor a parte “afro” de sua identidade. Sy interpreta esse personagem, Seydou Tall, com seu carisma conhecidíssimo, trazendo uma sagacidade necessária para salvar o personagem de vários clichês.
 
Tall é um ator de sucesso que viajará até a África para participar de um evento literário, por conta de um livro que escreveu. Acontece que este é fonte de inspiração, entretenimento e, por assim dizer, até esperança para um garoto senegalês, Yao (Lionel Louis Basse), que vive lendo a obra para si mesmo e seus colegas – mesmo quando uma cabra já consumiu páginas do livro. Depois de muita dificuldade e viajando sozinho, o menino vai até o astro francês pedir um autógrafo. O protagonista se sensibiliza com a situação do menino e decide levá-lo de volta até sua aldeia.
 
A trama simples permite que Tall acesse partes de si mesmo que estavam em conflito ou mesmo perdidas – como o papel de pai. Ele tem um filho de 6 anos, que vê raramente – o menino mora com a mãe –, e que deveria viajar também para o Senegal, mas adoeceu, tirando do protagonista uma oportunidade preciosa de desfrutar de sua companhia. Yao não é substituto na função, mas a relação que os dois personagens estabelecem permite que Tall compreenda melhor o seu papel.
 
Godeau pode não ser o mais criativo dos diretores, mas sabe aproveitar o que o filme tem a oferecer de melhor – seja o carisma de Sy ou a paisagem africana. A grande qualidade aqui é que ele olha para seus personagens e cenários no Senegal sem vê-los pelo filtro do exotismo. Yao, por exemplo, está bastante contente com sua vida no seu vilarejo – a presença de Tall ou a amizade com ele não o faz querer ir para a França. Tem seus amigos, sua rotina, e adora os livros de Júlio Verne – o que o faz sonhar em ser astronauta. Ele e as outras pessoas são como outras quaisquer, com alegrias e dificuldades, esperanças e sonhos, sem que precisem de uma boa alma branca para os ajudar. 

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança