Antártica por um ano

Ficha técnica

  • Nome: Antártica por um ano
  • Nome Original: Antártica por um ano
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2018
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 97 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Julia Martins
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Documentário visita a estação brasileira Comandante Ferraz na Antártica, retratando a retomada de seus trabalhos de pesquisa após um incêndio que destruiu suas instalações, em 2012. O centro do filme é a viagem de uma equipe de 15 pessoas que vai permanecer ali, longe da família, por um ano inteiro.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/05/2019

Em 2012, um incêndio destruiu 70% da estação antártica brasileira Comandante Ferraz, provocando ainda a morte de dois oficiais. Este documentário, assinado por Júlia Martins, acompanha os trabalhos de retomada das atividades da estação, ainda em instalações provisórias, começando em outubro de 2015.
 
Nessa data, partem para lá os 15 integrantes da Marinha que lá deveriam permanecer por um ano. Já na primeira etapa da viagem, as dificuldades climáticas de uma das regiões mais frias do planeta se fazem sentir. O navio, que parte de Punta Arenas, no Chile, tem sua viagem atrasada pela presença de gelo. Na estação, na Ilha Rei George, parte do arquipélago Shetland do Sul, as condições climáticas serão ainda mais duras. Por lá, as temperaturas podem ultrapassar os 25 graus negativos e os ventos, os 100 km/h.
 
O documentário acompanha as rotinas de uma equipe de técnicos e pesquisadores, que inclui apenas duas mulheres: uma médica, originária de Manaus, e uma bióloga, que partirá em breve. Dentro das instalações provisórias, as tarefas de pesquisa e manutenção são eventualmente duras, mas a equipe mostra estar tecnicamente preparada. Mais difícil de lidar é a distância das famílias dentro da perspectiva de passar longe delas festas como Páscoa, aniversários, Dias das Mães e dos Pais e Natal.
 
Diante de uma situação climática que muda rapidamente, a equipe de filmagem também sofre restrições. No começo da filmagem, fica uma semana, com a perspectiva de voltar em 3 meses. O retorno ocorre em março de 2016, num avião da FAB mas, por problemas técnicos, não podem alcançar a estação, só podendo voltar 7 meses depois. De todo modo, o documentário capta o funcionamento desta estação e seus profissionais de forma atenta e humana.
Quanto ao isolamento, pode-se dizer que estão habituados. A ponto de confessarem terem se sentido um pouco invadidos até mesmo pela pequena equipe de filmagem que compartilhou uma parte de sua rotina.
 
A reinauguração da estação, inicialmente prevista para março de 2018, foi adiada para março de 2020.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança