Wajib – Um Convite de Casamento

Wajib – Um Convite de Casamento

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 3 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Um professor palestino percorre bairros de Nazaré para entregar os convites de casamento da filha. Ele é acompanhado do filho, que vivia na Itália e volta para a festa, encontrando uma cidade mudada. Visões diferentes sobre questões comportamentais e políticas causam estranhamento entre os dois.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

21/01/2019

Wajib – Um Convite de Casamento, terceiro longa da diretora palestina Annemarie Jacir, acompanha a estafante tarefa do professor Abu Shadi (Mohammad Bakri) e de seu filho, o arquiteto Shadi (Saleh Bakri) - pai e filho na vida real e que contracenam juntos pela primeira vez-, de entregar pessoalmente para cada convidado os convites de casamento de Maria (Lama Tatour), filha de Abu. O arquiteto, radicado na Itália, voltou para sua região de origem, Nazaré, especialmente para ajudar o pai na delicada missão de entregar em mãos os convites do casamento da irmã.
 
Abu, seguidor da tradição, é respeitado na comunidade e aproveita a tarefa para reaproximar o filho de sua terra. Shadi vive na Itália há vários anos e sua ida para a Europa está relacionada a um episódio do passado que envolve o pai e um israelense, que Shadi acusa de ser espião dos serviços de segurança de Israel e que estaria por trás da inesperada decisão do pai de enviá-lo para a Europa.

O arquiteto se veste como um europeu e chama a atenção na comunidade conservadora. O pai gostaria que ele permanecesse em Nazaré e se casasse. Mas Shadi vive com uma palestina na Itália, filha de um antigo dirigente da OLP. Esses laços políticos não agradam ao velho.

As diferenças entre pai e filho, antigas mágoas e rancores, vêm à tona durante os deslocamentos de carro pelos bairros de Nazaré, em busca dos convidados. Entre ambos pesa a ausência da mãe de Shadi, que se divorciou de Abu para viver com outro homem nos Estados Unidos, deixando os dois filhos, ainda crianças, com o pai.

Enquanto percorrem as ruas da cidade, o rapaz não deixa de notar as transformações sofridas por Nazaré e a presença nada discreta dos soldados israelenses no caminho.

Durante a jornada, ocorrem alguns incidentes, em que os dois acabam se envolvendo involuntariamente, mas que exemplificam o clima de tensão na comunidade. No rádio ligado, a realidade se impõe com a notícia do funeral de uma pessoa da comunidade e problemas políticos enfrentados pelo primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu. O precário equilíbrio político da região tem seu espelho na relação entre pai e filho. Não sabemos ainda o que pode acontecer ao longo do dia à medida que os convites forem entregues. Nem o que acontecerá quando voltarem para casa, depois de um dia tão difícil.

Luiz Vita


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança