O confeiteiro

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Thomas é um confeiteiro alemão que tem um caso com um homem judeu, e quando este morre, viaja a Jerusalém para procurar a mulher e o filho do seu amante.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

12/12/2018

É com delicadeza e contenção que o diretor e roteirista israelense Ofir Raul Graizer estreia em longa-metragem com O confeiteiro, um filme sobre superar fronteiras e preconceitos. Thomas (Tim Kalkhof) é o personagem-título, dono de um café em Berlim, onde conhece Oren (Roy Miller), um executivo de Israel que faz viagens mensais à cidade. Os dois se tornam amantes. Quando o israelense morre em um acidente de carro em sua terra natal, o alemão viaja até lá em busca de um consolo e da família de seu amante.
 
Em Jerusalém, ele conhece Anat (Sarah Adler), a viúva, gerente de um café que é pouco frequentado. Sem dizer nada a ela sobre seu passado, consegue um emprego no local e logo mostra seus dotes culinários, transformando o lugar em um sucesso.
 
Graizer constrói a narrativa de O confeiteiro com nuances e sutileza, confiando na capacidade de seu público para compreender a complexidade das situações. Ninguém aqui é vilanizado, todos são humanos em situações delicadas para as quais não existem fórmulas. Thomas pode estar apenas querendo ficar próximo das outras pessoas que Oren amava ou, no fundo, garantir que a mulher e o filho de seu antigo amante estejam financeiramente encaminhados na vida. Ou as duas coisas.
 
Todos os personagens são extremamente humanos em suas dores e alegrias. Motti (Zohar Strauss), por exemplo, irmão de Oren, apesar de seu judaísmo rígido, mesmo desconfiando de Thomas, acaba se compadecendo do rapaz: “Ninguém deve passar o Shabbat sozinho”, diz.
 
A contenção que Graizer aplica à narrativa também se reflete na estética naturalista que emprega ao longo do filme. A fotografia de Omri Aloni ressalta em suas cores o que há corriqueiro no cotidiano, deixando-as, em alguns momentos, mais quentes, refletindo o estado emocional do protagonista. Já a trilha sonora, do multi-instrumentalista francês Dominique Charpentier, conta com notas de um piano, sem exagero, sem exibicionismo.
 
Ganhador do Prêmio Ecumênico em Karlovy Vary, entre outros, O confeiteiro é um filme sobre a superação de barreiras históricas, políticas, religiosas e emocionais. A confeitaria de Thomas serve mais do que uma metáfora, é a essência do personagem, e também a representação da possibilidade de um mundo melhor.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança