Aquaman

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 5 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Filho de um faroleiro, Tom, e da rainha do reino submarino de Atlântida, Atlanna, o garoto Arthur cresce dividido entre os dois mundos. Ele reluta, no entanto, em assumir seu verdadeiro destino: tornar-se rei de Atlântida, impedindo a guerra entre mar e superfície preparada por seu irmão, Orm.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

04/12/2018

Diretor de uma série de bem-sucedidos filmes de terror – Jogos Mortais (2004), Sobrenatural (2010 e 2013) e Invocação do Mal (2013 e 2016), James Wan entra no território dos super-heróis de quadrinhos com a aventura Aquaman – em que explora a multiplicação de efeitos especiais numa avalanche de guerras entre o mar e a terra.
Adrenalina não falta ao filme, que se estende por 2 horas e 23 minutos para desdobrar a saga de um rei-heroi a contragosto: Arthur (Jason Momoa), o resultado de um improvável romance entre um humano, o faroleiro Tom (Temuera Morrison), e a fugitiva rainha do reino submarino de Atlantis, Atlanna (Nicole Kidman).
 
A saga é temperada por esta ligação impossível e as obrigações maternas de Atlanna, que finalmente a conduzem a um sacrifício. Arthur cresce cuidado pelo pai e treinado para seu inescapável destino heroico pelo misterioso Vulko (Willem Dafoe), conselheiro real de Atlantis.
 
Um dos atrativos da história é a relutância de Arthur em assumir seu papel como legítimo herdeiro do trono de Atlantis agora que seu irmão mais novo, Orm (Patrick Wilson), decidiu promover uma guerra do mar contra a terra. Por sua própria natureza híbrida entre os dois mundos, Arthur está fadado à missão de impedir essa destruição. O toque ecológico fica por conta da reação do povo submarino contra a poluição dos mares promovida pelos humanos.
 
Por todos esses detalhes, a história de um rei mestiço, não um “sangue puro” como Orm – cuja aparência física lembra o malfadado ideal nazista – cai sob medida para um mundo real que mergulha perigosamente na intolerância contra a diferença. Essa natureza híbrida de Arthur confere-lhe também uma saudável falta de pose, que é um componente essencial de seu humor. Trata-se de um herói cínico mas sem nenhuma vacilação quando se trata de coragem. O rapaz é fortão e bom de briga em qualquer dos mundos que frequenta.
 
A presença feminina central é da princesa Mera (Amber Heard), filha do rei Nereus (Dolph Lundgren), que se torna aliado de Orm na intenção de dominar o mundo terreno. Prometida como noiva a Orm, ela se torna parceira indispensável de seu meio-irmão Arthur na luta para recuperar o tridente que lhe garantirá o reconhecimento como rei legítimo.
 
Os efeitos especiais cumprem seu papel a contento na tarefa de compor este universo marinho, povoando-o de criaturas fantásticas e multiformes, além de tornar cada batalha visualmente diferente da que a precedeu. Enfim, Aquaman satisfaz como entretenimento por mais que não se afaste completamente de alguns clichês em seus arquétipos, com alguns figurinos que, inevitavelmente, lembram aos brasileiros destaques de escola de samba. 

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança