Animais fantásticos - Os crimes de Grindelwald

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Preso com segurança máxima, o bruxo Gellert Grindelwald escapa com planos sinistros. Enquanto isso, o magizoologista Newt Scamander tenta resolver com a burocracia do mundo bruxo a proibição de viajar, depois que ele e seus bichinhos causaram muita destruição em Nova York.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/11/2018

Johnny Depp, que só fazia uma pontinha em Animais Fantásticos e Onde Habitam (2016), ocupa espaço de destaque como o grande vilão da sequência da nova franquia do universo Harry Potter, Animais Fantásticos – os crimes de Grindelwald.
 
O tumultuado divórcio de Depp e Amber Heard – que o acusou de violência doméstica – lançou até uma dúvida sobre a permanência do intérprete de Edward Mãos de Tesoura e A Fantástica Fábrica de Chocolate neste filme. Finalmente, Amber retirou a acusação no acordo final do divórcio, a escritora J.K. Rowling, autora e dona da palavra final de mais esta saga sobre bruxos e magia, deu-se por satisfeita e Depp foi mantido.
 
Na pele de Gellert Grindelwald (papel que foi de Colin Farrell), Depp encarna o bruxo maligno e maldito, encarcerado com segurança máxima e até requintes de crueldade – como ter tido sua língua extraída para não usar sua lábia para convencer carcereiros a soltá-lo. O esquema todo, porém, falha fragorosamente numa transferência do prisioneiro, quando ele consegue escapar para colocar em prática um plano de dominação dos mundos bruxo e humano.
 
Enquanto isso, o simpático magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) tem sua própria pendência para resolver com a burocracia bruxa. No momento, ele está proibido de viajar depois que seus bichinhos causaram a maior destruição em Nova York em sua última passagem. Seu irmão, Theseus (Callum Turner), tenta ajudá-lo a dizer as coisas certas na comissão examinadora, mas Newt não funciona bem para fingir o que não é.
 
Evidentemente, todos sabem que Newt vai, novamente, desobedecer às regras, ainda mais que sendo estimulado por ninguém menos do que Albus Dumbledore (Jude Law), o mestre de Hogwarts – preocupado com as movimentações do jovem Credence (Ezra Miller), um órfão que busca saber a verdade sobre sua família, o que o liga ao universo da magia e já despertou o interesse de Grindelwald.
 
Da mesma forma, é certo que vão reaparecer o casal formado pelo não-bruxo Jacob (Dan Fogler) e a bruxinha Queenie (Alison Sudol) e a rígida irmã desta, a Auror Tina Goldstein (Katherine Waterston) – que vai competir com a bela Leta Lestrange (Zoë Hravitz) pelas atenções de Newt, ainda que ela seja noiva de seu irmão, Theseus.
 
Nascido sob o complexo de “filme de meio” de uma saga, Animais Fantásticos – os crimes de Grindelwald é um tanto recheado demais de plots e digressões que, sabe-se de antemão, não serão resolvidos aqui. Isto chega a ser um problema para o filme, novamente dirigido por David Yates e roteirizado por J.K. Rowling – que tem a habilidade de traçar paralelos entre este universo da nova franquia, ambientado nos anos 1920 rumando para os 1930, com óbvias referências à ascensão do nazifascismo, e o nosso mundo atual, que parece ter esquecido os desastres daquela era, ecoando ideias e políticas autoritárias de sombria inspiração.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança