Operação Overlord

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Um grupo de soldados norte-americanos, durante a Segunda Guerra, tem uma missão especial contra os nazistas que ocupam um pequeno vilarejo na França. Chegando lá, descobrem que algo ainda mais horrível está acontecendo.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

05/11/2018

Operação Overlord é várias coisas – exceto um bom filme. É um trash com orçamento polpudo; um longa de guerra com zumbis; uma versão videogame de Bastardos inglórios sem humor ou cinismo – mas nada disso incomoda tanto quanto sua patriotada americana. Produzido por J. J. Abrams, o filme traz, como tudo em que ele toca, uma reviravolta que na cabeça dele sempre parece ser mais interessante e surpreendente do que realmente é.
 
Dirigido por Julius Avery, o filme tem como protagonistas um grupo de paraquedistas norte-americanos, na França, com a missão de destruir uma torre numa vila no interior do país. Uma série de incidentes os levam a se esconder numa casa onde vivem uma moça, seu irmão caçula e a tia doente, que vive trancada num quarto.
 
Na torre, conforme descobre o protagonista (Jovan Adepo), coisas horrendas acontecem – comandadas por um médico nazista que pretende ajudar a criar o Reich de Mil Dias. Há momentos risíveis, outros apenas nojentos mesmo. Há também uma cena em que uma mulher imita a heroína Ellen Ripley de maneira anódina. Mas, no fundo, tudo é meio desrespeitoso e um tanto oportunista, ao usar atrocidades reais como desculpa para roteiro de filme trash. 
 
Para não dizer que Operação Overlord seja de todo ruim, talvez o longa sirva para lembrar que os nazistas são, usando uma expressão da moda, “do mal” – o que pode ser um recado ainda necessário em nosso tempos. Sob a forma de videogame, como o longa é feito, a mensagem pode chegar com mais eficiência a gerações que precisam dela. 

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança