Verão em Rildas

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Um grupo de alunos da Universidade Federal Fluminense resolve fazer um festival de artes para se despedir de um amigo que vai viajar. Uma performance, no entanto, causa polêmica, e a repercussão sai de controle quando chega à imprensa conservadora e sensacionalista.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

28/09/2018

Verão em Rildas é um filme feito por universitários, sobre universitários e seu público, quase que exclusivamente, parece ser formado por universitários. A priori, isso não é um problema, mas o longa, que combina encenação e documentário, não consegue extrapolar essa redoma de vidro, mas poderia ir muito além do que resultou.
 
O longa começa com um grupo de estudantes de Produção Cultural da Universidade Federal Fluminense, na praia, em Rio das Ostras (Rilda), resolvendo realizar um evento cultural para despedida de um deles, que vai morar em Londres. Eles são jovens e inexperientes e não têm a menor noção de como as coisas funcionam – o que gera momentos divertidos, especialmente o encontro com uma assistente do secretário de cultura local, quando os jovens percebem que não obterão dinheiro público para o festival de artes que planejam.
 
A questão central do longa, que custa a aparecer, foi uma performance ocorrida na universidade em 2014, que ficou conhecida como "Xereca Satanik", na qual uma jovem (que nem era aluna) costurou sua vagina com uma bandeira dentro. Isso não é mostrado no longa, dirigido por Daniel Caetano, mas o acontecimento é chave aqui pois, a partir dele e sua filmagem, disponibilização na internet e repercussão (na época, causou alvoroço, especialmente na mídia sensacionalista e na reacionária), o filme toma novos caminhos, discutindo o que é arte, o papel da universidade (especialmente aquela que envolve dinheiro público), mídia e fake news (que na época nem tinha nome).
 
O evento e a famosa performance só acontecem perto do final do filme (que tem pouco mais de uma hora), e o que há de mais interessante ali, a discussão da repercussão, soa apressado. O que vem depois do festival de artes é muito mais interessante do que sua organização, que domina boa parte do filme. Aprofundar a discussão sobre a repercussão da "Xereca Satanik" seria bem mais proveitoso do que as encenações de jovens discutindo sobre como deveriam organizar seu evento.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança