Os incontestáveis

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Bel e Mau são dois irmãos que vão atrás do Maverick que foi do pai deles. Depois de várias tentativas frustradas, encontram o veículo, que agora é de um rico latifundiário. Enquanto tentam recuperar o carro, descobrem fatos pouco conhecidos.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

01/08/2018

Os incontestáveis, raro exemplar do cinema capixaba, começa como um road movie qualquer: dois irmãos caem na estrada para recuperar um carro que foi do pai, um Maverick 1977. Bel e Mau são interpretados pelos músicos Fabio Mozine e Will Just, que não fazem feio na estreia como atores no cinema. Os personagens têm perfis bem distintos: o primeiro é mais turrão, mal-humorado, e toma o resgate do carro como uma dívida pessoal, como uma forma de acertar as contas com o pai. O outro, mais boa praça, sempre quer dar carona a quem encontra pela estrada.
 
A primeira parte do longa é a busca pelo carro. Chegam a um lugar, depois de muitas horas de estrada, e descobrem que o dono morreu, mas o carro foi vendido para um fazendeiro. Este, por sua vez, também passou para frente o veículo. A expressão “passar para frente” se torna uma constante a cada nova pista, até que, antes mesmo da metade do longa, encontram o Maverick na posse do latifundiário Lobo (Tonico Pereira) – todo-poderoso, armado e nada disposto a conversas.
 
Nesse momento, o filme dirigido por Alexandre Serafini toma outro rumo. Torna-se um resgate de uma dívida histórica, na verdade. Mais do que a história pessoal dos irmãos e seu pai (mediada pelo carro), a dívida é com a história do Espírito Santo mesmo. O roteiro, assinado pelo diretor e Saulo Ribeiro, coloca em cena o Contestado, um conflito entre capixabas e mineiros, que começou na década de 1940 e se estendeu até os anos de 1960.
 
A entrada de um personagem conhecido como Velho (Fernando Teixeira), no filme, é o estopim para o resgate e uma guinada na narrativa, que mistura passado e presente no sentido de uma vingança pessoal e histórica. Como que possuído pelo espírito dos rebeldes, Mau arma um pequeno exército para tomar a casa de Lobo. Seu irmão, que reclama o filme inteiro, reclama ainda mais – para ele, basta apenas a recuperação do carro.
 
O filme nem sempre é bem-resolvido nessa segunda metade – os personagens se tornam mais tipos do que pessoas de verdade (os combatentes, o poeta etc) e as personagens femininas são um tanto caricatas. Ainda assim, Serafini faz um filme de resgate de um momento pouco lembrado da história, e a maneira como o revisita é bastante criativa.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança