Todas As Meninas Reunidas, Vamos Lá

Ficha técnica

  • Nome: Todas As Meninas Reunidas, Vamos Lá
  • Nome Original: Todas As Meninas Reunidas, Vamos Lá
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2017
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 80 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Carol Fernandes
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 6 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Anualmente, em Sorocaba (SP), o evento Girls Rock Camp Brasil reúne meninas entre 7 e 17 anos e ensina a tocar um instrumento musical, além de discutir o papel e a luta das mulheres na sociedade contemporânea.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

11/12/2017

Um acampamento exclusivo para meninas, no qual, durante uma semana, elas aprenderão a tocar um instrumento musical, formarão uma banda, comporão uma música e farão uma apresentação. Além disso tudo, também, ao lado de outras garotas e monitoras um pouco mais velhas irão discutir as lutas das mulheres em nosso tempo. Esse é o cenário do documentário Todas As Meninas Reunidas, Vamos Lá, de Carol Fernandes, que, acompanhou a edição de 2017 do projeto.
 
Girls Rock Camp Brasil é o ponto de partida deste documentário que, embora modesto, tenta expandir suas fronteiras, investigando o que é ser uma garota brasileira de classe média no século XXI. O resultado, apesar de irregular, tem um valor quase antropológico em seu estudo dessa parcela bem delimitada da população.
 
O acampamento, que acontece no começo do ano, em Sorocaba, interior de SP, reúne garotas de 7 a 17 anos. Em sua página na internet, o evento define como sua missão: “Empoderar e promover a autoestima de meninas e mulheres por meio da educação musical, criatividade, pensamento crítico e colaboração”. E é exatamente isso que se vê na tela, no acompanhamento dessa semana de atividades.
 
Certamente é mais interessante e divertido para as garotas que estiveram lá do que para quem está sentado numa sala de cinema assistindo ao filme, que registra a experiência. Ainda assim, o filme funciona como um registro ao mostrar na prática como esse tipo de atividade é importante no sentido de estimular uma nova consciência social das garotas em sintonia com as aspirações do presente.
 
A diretora consegue escapar da armadilha de transformar seu filme numa mera propaganda ou num institucional por contar com boas entrevistas de voluntárias, participantes e da diretora do acampamento, a socióloga e professora Flavia Biggs. Como é de se esperar, vemos na tela garotas e mulheres adultas dizendo o quão importante a experiência foi para elas – tanto musical quanto social e emocionalmente. Tudo é interessante e muito bem montado, por Marianne Crestani e Michelle Brito, mas fica a dúvida se esse é um filme que realmente pede uma exibição em sala de cinema, se não seria mais eficiente em seu propósito estrear diretamente em streaming ou num canal de televisão.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança