Altas expectativas

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Décio é treinador de cavalos no Jockey Clube carioca. Tem apenas 1,10m de altura, o que lhe traz problemas na vida e com as mulheres. Um dia, chega uma nova dona ao café do local, Lena, e ele se apaixona. Mas não tem coragem de declarar-se a ela, ainda mais porque Flávio, um cara rico, já se antecipou. Será que Décio ainda tem alguma chance?


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

28/11/2017

Vindos de uma experiência com séries de TV, os diretores e roteiristas Pedro Antônio Paes e Álvaro Campos estreiam no cinema com a comédia Altas Expectativas – que marca também o primeiro papel do comediante de stand up Gigante Léo nas telas.
 
O roteiro, de autoria de Paes e Campos, baseia-se em parte na biografia do próprio Léo – cujo nome verdadeiro é Leonardo Reis -, que tem 1,10 m de altura e é casado com uma mulher de 1,65 m. No centro da história, está a paixão de Décio (Léo), um treinador de cavalos no Jockey Clube carioca, pela nova dona de um café local, Lena (Camila Márdila, de Que horas ela volta?).
 
O problema crucial do filme é parecer uma série de esquetes que não dão liga numa história estruturada, faltando definição dramática aos seus personagens, inclusive a própria Lena – afinal, por que é que a moça não ri? Por que tem problemas financeiras e um irmão com problemas de saúde (Pedro Sol) ? É mais consistente entender porque Décio, devido à baixa estatura, enfrenta insegurança para lidar com as mulheres.
 
Os próprios diretores, afinal, parecem não confiar muito na própria proposta quando optam por começar mostrando o comediante stand up num palco, contando piadas (na maioria, boas, aliás) – qual a necessidade disto em relação ao que vem a seguir? A princípio, nada. À medida que a trama avança, Décio vai se aproximar de um vizinho barulhento, Tassius (Felipe Abib), que justamente está montando um show de stand up e nota o potencial humorístico de Décio.
 
Outra prova de falta de confiança na própria história está no uso abusivo da música, que pontua praticamente cada cena, gerando um cansaço. Muitos personagens são super-esquemáticos, caso de Flávio (Milhem Cortaz), o namorado rico e vilão de Lena; a joqueta e amiga de Décio (Maria Eduarda Carvalho) e, pior ainda, o veterano Agildo Ribeiro – não dá para entender quem ele é na trama, afinal.
 
A direção de atores não encontrou um tom equilibrado, assim, cada um joga do seu jeito – no caso de Maria Eduarda e Felipe Abib, com um tanto de overacting; no caso de Camila Márdila, contida demais, no limite da falta de expressão, e justo ela que foi tão bem como a Jéssica de Que horas ela volta?, embora se tratasse, é claro, de um filme inteiramente diferente. A intenção por trás de Altas Expectativas parece ter sido, provavelmente, fazer um filme bonitinho, engraçadinho, usando o inegável carisma de Léo. Mas não chegou lá.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança