O filho uruguaio

O filho uruguaio

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Depois de anos, Sylvie consegue encontrar a pista do filho, cujo pai uruguaio levou com ele, desaparecendo em seu país natal. Ela parte da França para lá, visando resgatar o filho a qualquer preço. Mas muitas dificuldades ainda exigirão seu cuidado.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

07/11/2017

Uma das atrações do festival Varilux, o drama do diretor francês Olivier Peyon expande o drama de Sylvie (Isabelle Carré), mãe francesa que vive há quatro anos sem pôr os olhos no filho, depois que o ex-marido sumiu com ele no Uruguai, seu país natal.
 
Cansada de esperar pelas providências oficiais dos dois países, ela se lança a uma investigação pessoal e localiza o filho, Felipe (Dylan Cortes), hoje com 8 anos. Contando com a ajuda de um assistente social francês, Mehdi (Ramzy Bedia), ela planeja partir com o menino para casa, quer as autoridades policiais e consulares colaborem ou não.
 
É impossível não compreender as razões de Sylvie, visivelmente abalada por toda essa espera e seguidas decepções. Depois de seu calvário, ela é uma mulher capaz de tudo. Por enquanto, Mehdi consegue acalmá-la, dispondo-se a uma aproximação com a família paterna do menino que, depois da morte repentina do pai, está sendo cuidado pela avó, Norma (Virginia Méndez), e pela tia, Maria (Maria Dupláa).
 
Neste contato, Mehdi oculta sua conexão com Sylvie, iniciando um relacionamento de amizade com Felipe e também com Maria – que se transforma num interesse amoroso. Está armado um cenário para outros obstáculos no caminho do impasse da mãe aflita para recuperar o filho perdido.
 
A história explora habilmente a constatação, por parte de Sylvie, que não é tão simples recobrar a qualquer custo a guarda de Felipe. Ele cresceu longe dela, num país de realidade e língua diferentes e as parentes que tomam conta dele são pessoas amorosas e apegadas a ele.
 
Assumindo o ponto de vista de Sylvie, o diretor mostra habilidade em incorporar os outros lados da questão. Afinal, o ideal é mesmo arrancar o menino da tia e da avó, com quem ele foi feliz até agora? Parece que a situação, criada pelo erro trágico do pai do garoto, vai exigir maiores provas de amor de todos os lados, buscando uma negociação que escape de um simples acerto de contas.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança