Danado de bom

Ficha técnica

  • Nome: Danado de bom
  • Nome Original: Danado de bom
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2016
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 75 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Debby Brennand
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Pernambucano de Arcoverde, cidade do sertão, João Silva partiu dali aos 17 anos para o Rio de Janeiro, tornando-se amigo e parceiro de Luiz Gonzaga. O filme reconta sua vida ao acompanhá-lo numa viagem de volta à cidade natal.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

27/06/2017

O coração profundo da música popular do Brasil passa por este alentado documentário sobre João Silva (1935-2013), compositor pernambucano que assinou cerca de 3.000 músicas, várias das mais famosas em parceria com Luiz Gonzaga – caso de Doutor do Baião, Nem se Despediu de Mim, Pobre Sanfoneiro e Danado de Bom, que empresta o nome ao filme. Mesmo assim, muita gente não o conhece tão bem, por conta da sombra do parceiro mais famoso. O que, aliás, aconteceu também com Humberto Teixeira, outro parceiro de Gonzaga que um documentário sublime, O Homem que Engarrafava Nuvens, de Lírio Ferreira, se encarregou de devidamente resgatar.
 
Dirigido por Deby Brennand, Danado de Bom acompanha um retorno às raízes realizado pelo compositor à sua Arcoverde natal, a 259 km de Recife, em pleno Agreste pernambucano. É visível e nada piegas a emoção que toma conta do sertanejo de expressão dura quando percorre os arredores de sua cidade, onde viveu infância solitária, criado pelo pai depois que a mãe abandonou a família. Também ali experienciou amor não correspondido, cuja memória lhe deixou uma funda cicatriz.
 
Já adolescente, tomou intimidade com os ritmos populares nordestinos, baião, xote, forró, que ficaram impregnados na sensibilidade que depois transbordou em tantas canções. A obsessão por conhecer o ídolo Luiz Gonzaga o levou ao Rio aos 17 anos, onde os dois se cruzaram na rádio Mayrink Veiga. O relacionamento entre os dois começou acidentado, mas aos poucos se transformou numa dessas amizades para toda a vida, em que o mais jovem, João, se tornou uma espécie de protetor de Gonzaga, mais inocente nas negociações com os empresários, que faturavam alto com o sucesso do Rei do Baião.
 
Entrevistas com outros artistas, como Dominguinhos, Gilberto Gil, Elba Ramalho e Alcione, pontuam a influência da dupla de compositores sobre outras gerações. Mas nada mais revelador do que as várias versões da impagável Pagode Russo nas interpretações de artistas como Lenine, Monobloco e outros para comprovar a energia e atemporalidade da música de João, agora com o amigo Gonzaga ensinando o que é que tem o baião aos anjos. 

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança