Deserto

Deserto

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Grupo de atores mambembes chegam a uma cidadezinha abandonada e resolvem ficar. Depois da morte do líder, eles decidem seus novos papeis num sorteio, ao qual foram lançados papeizinhos onde cada um escreveu o que achava essencial ao funcionamento de uma cidade. Assim, ao acaso, a cada um cabe uma função: Cozinheira, Médica, Caçadora, Militar, Negro e Puta.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

21/06/2017

Livremente inspirado no romance mexicano Santa Maria do Circo, de David Toscana, Deserto, o alentado longa de estreia do ator Guilherme Weber, cria um cenário de fim do mundo para abrigar uma trupe de artistas desgarrados de tempo e lugar, interpretados por Lima Duarte, Everaldo Pontes, Cida Moreira, Márcio Rosário, Fernando Teixeira, Magali Bif, Claudinho Castro e Pietra Pan.
 
Miseráveis andarilhos, de aldeia em aldeia à procura de público, eles desembarcam numa cidadezinha abandonada e resolvem ficar, apossando-se das casas vazias e dos recursos mais do que escassos. Depois da morte do líder, contrário ao abandono da vida nômade, eles decidem seus novos papeis num sorteio, ao qual foram lançados papeizinhos onde cada um escreveu o que achava essencial ao funcionamento de uma cidade. Assim, ao sabor deste acaso, a cada um cabe uma função: Cozinheira, Médica, Caçadora, Militar, Negro e Puta.
 
Inconformados com a opressão de sua nova condição, a Puta e o Negro se rebelam, mas o Militar assume também seu lado repressor. E assim o filme torna-se uma fábula sombria em torno da organização social, assumindo uma reflexão política que nunca se desvincula do poético, ainda mais porque cita organicamente Shakespeare e alguns outros trechos da melhor dramaturgia, sem tornar-se hermético demais pelas referências. O filme respira e se comunica mesmo com quem não decifra todas elas, por conta do esplêndido cenário natural, no sertão da Paraíba, valorizado pela fotografia do português Rui Poças, da direção de arte (da experiente Renata Pinheiro, premiada no Festival de Brasília 2016) e especialmente da afinação deste espetacular conjunto de atores.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança