#Garotas – O Filme

#Garotas – O Filme

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Beth voltou de uma temporada em Nova York e reencontra suas duas melhores amigas. Na noite de Ano Novo, organizam uma festa com muito álcool e sexo. Além disso, ainda precisam lidar com erros do passado.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

09/11/2015

Existe um filme querendo nascer de #Garotas. Ele fala de uma juventude inconsequente, rica e infeliz. Alguns flashs desse suposto filme “escapam” e se mostram ao longo das quase duas horas do longa de Alex Medeiros – mas a vontade de chocar e a exploração gratuita do corpo feminino sufocam o que haveria de bom aqui. A protagonista é Beth (Giovana Echeverria), uma pobre menina rica que volta de Nova York depois de um ano e reencontra as amigas Milena (Barbara França) e Carina (Jeyce Valente).
 
Beth, no entanto, não é mais a mesma. Sua fama de inconsequente perdura – todo mundo em quem esbarra numa festa tem uma história sobre ela envolvendo sexo e/ou drogas – mas ela quer mudar as coisas, para decepção das outras duas. A trama é bem básica e acompanha uma festa de reveillon na casa da protagonista. O roteiro, também assinado por Medeiros, alterna entre momentos dramáticos (muitos envolvendo a autodestruição das personagens centrais) e outros de humor, que não fariam falta não existirem, pois não são engraçados (algumas piadas parecem saídas do humorístico A Praça é Nossa).
 
Seria fácil demais chamar #Garotas de um filme totalmente descartável, mas não é. Há questões interessantes ali, tratadas superficialmente, que mereciam mais atenção. O trio de protagonistas, por exemplo, é uma delas. As garotas são bastante críveis, assim como suas angústias e ansiedades. Seria mais proveitoso, no entanto, se essas personagens tivessem um arco dramático mais bem estruturado ou se as atrizes estivessem mais bem dirigidas – em alguns diálogos, por exemplo, é difícil entender o que estão falando, por mais esforçadas que elas sejam. Talvez o problema central de #Garotas seja sua indecisão: Quer chocar? Quer fazer uma crítica sobre o vazio de uma geração? Ou quer apenas explorar a beleza e a nudez da protagonista?

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança