Exorcistas do Vaticano

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Um grupo secreto de cardeais do Vaticano, que combate possessões demoníacas pelo mundo, descobre que uma jovem nos Estados Unidos pode estar ligada à vinda do Anticristo à Terra.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

18/08/2015

Exorcistas do Vaticano deve ser uma das poucas situações em que o título do filme no Brasil faz mais sentido do que o original: “The Vatican Tapes”, ou “os vídeos do Vaticano”. Isso porque a versão americana é um tanto enganosa sobre o conteúdo deste terror sobre possessão demoníaca, que enquadra a Santa Sé como manipuladora de informações aos seus seguidores.

Da forma como o filme é comercializado, dá a entender que se trata de uma série de vídeos (supostamente reais) guardados pelo Vaticano, atestando a presença demoníaca no mundo. Sugere, assim, o início de uma franquia, como VHS (2012), na forma de um compilado de curtas aterrorizantes, ou mesmo, como Invocação do Mal, que extrai dos casos enfrentados pelos investigadores paranormais reais Ed e Lorraine um leque de histórias para muitas sequências.

Mas a nova produção não explora os tais arquivos, que deveriam ser o grande trunfo deste enredo. O diretor e corroteirista Mark Neveldine (de Adrenalina) foca apenas na história da jovem Angela (Olivia Taylor Dudley), que manifesta sinais de possessão, para desespero do pai, Roger (Dougray Scott), e do namorado Pete (John Patrick Amedori).

Depois de causar uma carnificina no hospital em que está internada (onde ninguém entende o que ocorre com a jovem), o padre Lozano (Michael Peña) identifica o problema e contata o grupo secreto do Vaticano, liderado pelo cardeal Brunn (Peter Andersson) e o vigário Imani (Djimon Hounsou) – aí sim justificando o título nacional.  

Quando Brunn viaja para encontrar Angela, o mal já a dominou por completo e o exorcismo talvez não seja mais uma saída viável. Enquanto a profecia do Anticristo bate à porta da família, o Vaticano precisa salvar a alma de Angela.

Como não se trata de uma possessão pontual, como no caso dos vibrantes O Exorcismo de Emily Rose ou do clássico O Exorcista, a nova produção está mais ligada ao legado da trilogia A Profecia. E se inspira, aqui, livremente em trechos do Novo Testamento (nas epístolas do apóstolo João), cujas frases soltas são constantemente usadas nas cenas, pontuando o início do fim do mundo.

Exorcistas do Vaticano
não traz um olhar inovador ao gênero, reproduzindo nas poucas cenas de tensão artifícios já vistos nos filmes aos quais se referencia. Mesmo na reviravolta final, pelo excesso de pretensão, Neveldine alimenta mais a trama política da chegada do Anticristo (como líder global) do que propriamente o terror que a produção vende. Enquanto os arquivos em vídeo secretos do Vaticano, continuam lá, guardados em segredo, ignorados pelo filme.  

Rodrigo Zavala


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança