Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 3 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Alexandre é um garoto bom, mas muito azarado. E, um dia em seu aniversário, deseja que sua família entenda tudo o que ele passa sempre. Naquele dia, seus pais e irmãos vão enfrentar muitos contratempos...


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

22/10/2014

Em 1972, Judith Viorst lançou um pequeno livro infantil com um curioso nome, Alexander and the Terrible, Horrible, No Good, Very Bad Day – disponível apenas em edições importadas por aqui –, que viria a se tornar um clássico nos Estados Unidos, com direito à inclusão de parte de seu enorme título em ditos populares e memes da internet. Depois de um especial em animação da HBO, de 1990, e um musical, de 1998, somente agora chega aos cinemas uma adaptação da obra: Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso (2014), de Miguel Arteta.
 
Esse hiato é compreensível, já que o livro tem apenas 32 páginas, que descrevem o dia de azar de Alexander, quando um chiclete grudado em seu cabelo inicia uma série de desventuras que duram até a hora de dormir. O roteirista Rob Lieber, por sua vez, recorre ao texto literário somente no início do filme, acrescentando mais uma série de exemplos da falta de sorte do menino, como o fato de Philip Parker decidir fazer uma festa no mesmo dia do aniversário de Alexandre (Ed Oxenbould) – como foi traduzido na versão brasileira –, fazendo com que todos, inclusive seu melhor amigo e a menina por quem é apaixonado, prefiram ir à comemoração do garoto popular da escola.
 
Também há adições adaptadas à atualidade, a exemplo da montagem ridícula com seu rosto circulando nos celulares dos colegas, e aquelas que fazem homenagem à obra original, quando ele não consegue fazer o trabalho sobre a Austrália, o país pelo qual tem adoração. Curiosamente, o próprio Ed, que aproveita bem a oportunidade como protagonista, é australiano, de uma família de comediantes muito conhecida em sua terra natal.
 
Entretanto, Lieber vai além na dura tarefa de transformar as poucas páginas literárias em dezenas de um roteiro de longa-metragem. Para tanto, o longa se concentra não no pior dia de azar de Alexandre – que parece ter muitos, por sinal –, e sim no seguinte, aquele que foi o mais desastroso para sua família. Isso porque a data tinha tudo para ser inesquecível.
 
Ben (Steve Carell), o pai, faria uma entrevista de trabalho depois de ficar muito tempo desempregado. Kelly (Jennifer Garner), a mãe, estaria à frente de um grande lançamento na editora em que trabalha. Anthony (Dylan Minnette), o irmão mais velho, faria o exame para obter a habilitação e, assim, levaria de carro a namorada para o baile de formatura. Emily (Kerris Dorsey), a irmã, seria o Peter Pan na montagem escolar da peça. Até o bebê Trevor (Elise e Zoey Vargas), após dizer sua primeira palavra, teria a previsão de um dia melhor do que Alexandre. Mas, quando à meia-noite, como pedido de aniversário, o garoto deseja que os outros Cooper’s possam sentir na pele o que ele vive constantemente, tudo muda e se inicia uma série de desastres para cada um deles.
 
Trata-se de uma comédia de erros, em que o humor decorre tanto dos diálogos quanto do apelo físico, sem que o espectador se apegue à (falta de) lógica de algumas situações. A direção de Miguel Arteta, que teve início de carreira em uma vertente mais indie, é suavizada nesta produção da Disney, tal qual a leve câmera na mão que marca a fotografia de Terry Stacey.  O pior dia na vida suburbana dos Cooper em nada parece com qualquer dia de uma família que mora em algum bairro norte-americano, por exemplo; o que dirá em um país subdesenvolvido ou em guerra.
 
A questão é que Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso é um típico filme família, estilo “Sessão da Tarde”, de que o público já sabe o que esperar. Mas o trabalho da equipe e do elenco – tanto os veteranos Carell e Garner, sejam em tons diferentes, quanto os mais novos, Minnette e Dorsey – resulta em algo tão interessante, e até superior às produções mais recentes no gênero, que garante a diversão.

Nayara Reynaud


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança